quinta-feira, 15 de março de 2012

Interpretação Análise do Solo - Adubação do Cafeeiro


Este artigo busca transmitir informações para o manuseio das tabelas que recomendam as necessidades de fertilizantes, na cultura do café, em confronto com os resultados obtidos nas análises de solos, referentes aos teores de nutrientes contidos no solo. As recomendações de nutrientes, a serem aplicados por meio de fertilizantes, variam de região para região. O técnico deve dispor das tabelas de adubação para cada cultura de sua região, as quais recomendam as quantidades de nutrientes a serem aplicados no solo, para suprirem as plantas durante seu crescimento e produção de
grãos. Estas tabelas estão disponíveis nos órgãos de pesquisa, nos serviços de extensão rural e assistência técnica. De posse da respectiva tabela de recomendação de adubação e do resultado da análise do solo, o passo inicial é enquadrar os teores de nutrientes, da análise do solo, nas faixas de nutrientes que a pesquisa encontrou nos método de calibração. Para isto, vamos trabalhar com resultados hipotéticos de uma análise de solo e com tabelas de recomendação da pesquisa.

No quadro 1 temos um resultado de análise do solo feita antes do plantio do café. O passo a seguir é enquadrar os teores de P, K, B e Zn nas tabelas de recomendação de nutrientes, donde sairão as quantidades recomendadas de P2O5, K2O, B e Zn.
Na Tabela 1 encontramos a recomendação de nutrientes, conforme as faixas de amplitude de seus teores na análise.


Enquadrando os teores dos nutrientes do resultado da análise nas faixas da tabela de recomendação, verificamos (setas azuis) que:
os 6 mg/dm³ P se enquadram na faixa < 10 mg/dm³ P, e a recomendação é de 40 g/cova P2O5, ou seja, 220 g /cova supersimples;
em 100 kg de supersimples temos ............. 18 kg P2O5
em   X kg de supersimples teremos............ 40 kg/ha P2O5
X = (40 x 100) / 18
X = 400/18
X = 220 kg/ha supersimples
os 0,12 cmolc/dm³ K na faixa < 0,15 cmolc/dm³  K e a recomendação é de 20 g/cova K2O, ou 35 g/cova cloreto de potássio (60% K2O);
os 0,14 mg/dm³ B na faixa < 20 mg/dm³ B, ou 1 g/cova B, equivalente a 6 g/cova ácido bórico (17%);
os 0,6 mg/dm³ Zn na faixa de 0,6 a 1,1 mg/cova Zn, uma recomendação de 1 g/cova Zn, ou 5 g/cova sulfato de zinco (20% Zn).

Para adubação de produção, vamos apresentar uma nova análise de solo, pois, como a adubação de produção começa a partir do 3º ano, os teores de nutrientes são diferentes daqueles do plantio e quando foram aplicados fertilizantes.


Vamos, agora, enquadrar os teores de nutrientes na Tabela 2. que recomenda as doses de nutrientes, N, P2O5 e K2O que devem ser aplicadas na adubação.


Para uma produção de 60-70 sc/ha, as necessidades são: 180 kg/ha N, 60 kg/ha P2O5 e  160 kg/ha K2O. No café, o nitrogênio (N) é aplicado em 4 parcelas e o potássio (K) em duas parcelas, nos períodos chuvosos. Sendo assim, os 180 kg/ha N são aplicados na quantidade de 45 kg/ha/aplicação N; os 160 kg/ha K2O são aplicados em duas vezes de 80 kg/ha, cada uma. Desta maneira, na primeira aplicação teremos 45 kg/ha N + 60 kg/ha P2O5 + 80 kg/ha K2O. Temos uma relação 45-60-80. Dividindo, pelo menor número (45), teremos uma relação simplificada: 1-1,33-1,78. Multiplicando esta relação simplificada por coeficientes, teremos formulações similares que, conforme a quantidade, fornecerão os totais de nutrientes recomendados. Por exemplo:
X 9 = 09-12-16; A quantidade será: 45/9 x 100 = 500 kg/ha
X 10 = 10-13-18  A quantidade será: 45/10 x 100 = 450 kg/ha
X 12 = 12-16-21; 45/12 x 100 = 375 kg/ha
Várias formulações similares podem ser obtidas, conforme a disponibilidade no comércio. Para completar o total da recomendação da tabela serão aplicados, em cobertura, mais três aplicações de N, na base de 107 kg uréia/ha uréia (42% N), e o potássio mais uma aplicação na dose de 133 kg/ha cloreto de potássio (60% K2O).
Em 100 kg de uréia temos ........... 42 kg N
...... X kg uréia ............................. 45 kg N
X = (45 x 100) / 42
X = 107 kg uréia/ha
Em 100 kg de cloreto de potássio temos ................ 60 kg K2O
................... X kg de cloreto de potássio................. 80 kg K2O
X = (80 x 100) / 60
X = 133 kg cloreto de potássio/ha

OUTROS ARTIGOS PARA LER
Interpretação da análise do solo - calagem no cafeeiro

4 comentários:

  1. quero aprender como interpretar analize de solo relativo ao calcario e adubações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No blog tem mais de 50 postagens que explicam isto. Acesse o blog, na coluna da direita, no final, existe "Assuntos de interesse geral", procure por analise do solo interpretação. Clique e abrirá as postagens sobre o assunto. Existe uma "Série de 10 artigos" que ensina passo a passo. É claro que vc terá que abrir todas as páginas para ver todas as publicações. Qualquer dúvida na procura, entre em contato.

      Excluir
  2. Olá Gestão...
    Entendi os cálculos de adubação, mas ficou uma pequena dúvida, que talvez seja simples. Não entendi, como saber o coeficiente para multiplicar pela relação simplificada, para achar as formulações similares.

    obrigado pela atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, os coeficientes aqui são números 1, 2, 3, 4, 5, 6...... 9, 10 ,11 etc, que vc utiliza para multiplicar a relação simplificada. por exemplo: uma relação simplificada 1-5-2
      Se multiplicar por 5 vc terá 5*(1-5-2) = 5-25-10 que é uma formula de fertilizante.
      Se multiplicar por 6*(1-5-2) = 6-30-12 que é outra fórmula de fertilizante
      E assim até encontrar fórmulas que existem no mercado. São as chamadas fórmulas similares.

      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.