quinta-feira, 21 de junho de 2012

Argila e Matéria Orgânica na Análise do Solo

Interpretação da análise do solo (2)



Alguns laboratórios indicam, no resultado da análise, o teor de carbono (C). Para se encontrar o teor de matéria orgânica multiplica-se o valor de C por 1,724. A matéria orgânica dá uma estimativa da quantidade de nitrogênio do solo. Para se estimar a quantidade de N oriunda da matéria orgânica basta dividir seu teor por 20. Por exemplo: um solo possui 1,3% de C. Então: 1,3 x 1,724 = 2,24% de matéria orgânica, ou 2,24 dag/kg ou 22,4 g/kg. Com
relação à estimativa de nitrogênio (N): 2,24 / 20 = 0,112% de N ou 0,112 dag/kg ou 1,12 g/kg ou 2,24 t/ha N (g/kg x 2 = t/ha).
Na primeira publicação desta série "interpretação da análise do solo, abordamos "O pH na análise do solo".
O pH na análise do solo - interpretação da análise do solo (1)

Classificação da textura do solo no RS.SC.MGNos solos mais intemperizados há uma predominância das argilas de baixa atividade. Nestes solos, o teor de matéria orgânica varia de baixo a médio, enquanto os teores de CTC são baixos. Entretanto, quando as argilas são do tipo 2:1, os teores de matéria orgânica e CTC são mais altos. Os solos argilosos podem reter grandes quantidades de cátions. Por sua vez, os solos arenosos, que apresentam baixo teor de matéria orgânica e de CTC, têm a propriedade de reter pequenas quantidades de cátions. Nestes solos, as perdas de nutrientes por lixiviação são maiores. Um solo pode conter alta percentagem de argila e pobreza de nutrientes em virtude da baixa atividade destas argilas, provavelmente do tipo 1:1.
A amostra (1) apresenta 1,4 dag/kg de matéria orgânica ou 1,4% e a amostra (2) tem um teor de 0,5 dag/kg. Dentro do quadro de interpretação de matéria orgânica em Minas Gerais, na amostra (1) o solo se enquadra na faixa de teor baixo e na amostra (2) na faixa muito baixo.
Na amostra (1), pela tabela do RS, o teor de argila é baixo, o que caracteriza um solo arenoso que deve ser manejado com cuidado, pois há perdas de cátions trocáveis por lixiviação.
Leia: As argilas e os níveis de CTC no solo
         Matéria orgânica do solo
         Solos argilosos
         Solos arenosos

Teor de matéria orgânica nos solos do RS e SCNo Rio Grande do Sul e Santa Catarina a classificação do teor de matéria orgânica é diferente. Desta maneira, o técnico deve estar atento à recomendação nitrogenada partido de tabelas específicas para cada cultura em sua região. Não existe uma única tabela que contemple todos os Estados. Cada Estado tem a sua própria tabela de recomendação de nutrientes, baseada na calibração através dos trabalhos de pesquisa realizados no local, em função do tipo de solo, clima, expectativas de produção, etc. 
Teor de matéria orgânica nos solos de Minas Gerais
O conhecimento da quantidade de matéria orgânica no solo contribui para a recomendação de adubação nitrogenada. Cada cultura tem a sua necessidade de nitrogênio que varia entre os diferentes estados brasileiros, sendo a quantidade recomendada em função da expectativa de produção e das perdas por lixiviação, volatilização e imobilização.

O nitrogênio é um dos nutrientes que as plantas absorvem em grandes quantidades. A forma mais aproveitada pelas plantas é o N-NO3 que existe em pequenas quantidades na solução do solo. No solo, o nitrogênio mineral é originado da mineralização da matéria orgânica e disponibilizado para as plantas. Esta passagem do N orgânico para o N mineral é realizada sob a ação de microorganismos. Segundo Mello et al. (1983), citado por Gonçalves (2005), as etapas de passagem do N  orgânico para N mineral são as seguintes:
N Orgânico --- N amídico --- N amoniacal --- N nítrico --- N nitrato.
Uma cultura pode remover 2 a 3% do nitrogênio orgânico da camada de solo arável. Assim, as reservas de nitrogênio orgânico podem suprir de 9 a 12 kg/ha/ano de N  (Miller, 1972).
                          As formas N nítrica e N amoniacal

As recomendações de N são efetuadas em relação ao teor de matéria orgânica do solo. Geralmente, aplica-se até 20 kg/ha de N no momento da semeadura e o restante da recomendação em cobertura , nos estádios que a planta mais necessita, de acordo com o que preconiza a pesquisa. As quantidades de N são para um determinado patamar de produtividade. Para expectativas de maiores produções, a recomendação propõe uma certa quantidade de N para cada aumento de 1.000 quilos na produtividade. Em certos casos chega a 15 - 20 kg/ha N, conforme a região. No caso de lavouras feitas em áreas que foram cultivadas leguminosas, a recomendação de N tende a diminuir.
Leia mais:  Cátions trocáveis e as CTC's na análise do solo - Interpretação da análise do solo (3)
                    Cátions ácidos e saturaçao por alumínio na análise do solo - Interpretação da análise do solo (4)

REFERÊNCIAS

ALVAREZ V, V.H.; RIBEIRO, A.C.; GUIMARÃES, P.T.G. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais - 5a. aproximação. 1999. Viçosa, Minas Gerais. Disponível em:<http://pt.scribd.com/doc/58701933/5%C2%AA-Aproximacao-Manual-de-Adubacoes-PDF> Acesso em: 13 de jun. 2012.

GONÇALVES, F. T. A. Dinâmica do nitrogênio em solo tratado com lodo de esgoto e cultivado com café. 2005. Dissertação (Mestrado em Gestão dos Recursos Agroambientais) – Instituto Agronômico Campinas. 2005

MILLER, F.P. Os fertilizantes e o meio ambiente. In: Manual de Fertilizantes.Tradução de Eng.Agr. Mario Luiz M. Mattos de Castro - CEFER/IPT. São Paulo. 1980. The Fertilizer Institute. 2ed. p. 25-51. 1976.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO. COMISSÃO DE QUÍMICA E FERTILIDADE DO SOLO - RS/SC. Manual de adubação e calagem para os Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. 10ª ed. Porto Alegre, 2004. 400p.

6 comentários:

  1. Professor, como poderia calcular a necessidade de adubação nitrogenada considerando a matéria orgânica na analise de solo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nas recomendações de calagem e adubação para o seu Estado, existe uma tabela que conforme o teor de MO no solo é recomendado tantos kg/ha de N. Procure na secretaria da agricultura ou num escritório de extensão rural este manual.

      Excluir
    2. Boa tarde, professor Gastão. Pode exemplificar um caso de recomendação de uréia a partir do Teor de Matéria Orgânica do Solo?

      Excluir
    3. Por exemplo, o manual de recomendação do seu Estado diz numa determinada cultura que um teor de MO de 1,8% necessita de 40 kg de N, sendo 10 no plantio e 30 em cobertura.
      A ureia possui 44% de N, ou seja em cada 100 kg de ureia (2 sacos) temos 44 kg de N.
      100 kg de ureia ....... 44 kg de N
      quanta ureia (X)....... 30 kg de N
      X = 30 x 100 / 44
      X = 3000 / 44 = 68 kg ou 70 kg de ureia
      Para achar os 10 kg N no plantio faça o mesmo raciocínio.

      Excluir
  2. Professor, a divisão do teor de matéria orgânica por 20 é devido à que? Se eu tenho um solo com relação C:N de 10 eu não tenho de dividir o teor de matéria orgânica por 10 para saber o nitrogênio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um coeficiente calculado pelas pesquisas realizadas pelos órgãos oficiais.


      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.