terça-feira, 19 de junho de 2012

O pH na Análise do Solo

Interpretação da Análise do Solo (1)



O solo é considerado ácido quando possui muitos íons H+ (acidez ativa). Conhecendo-se a concentração de H+ na solução do solo pode-se calcular a CTC a pH 7,0 que junto com a percentagem de saturação por bases (V%) indica a necessidade de calagem. Nesta situação, há uma pobreza de cátions básicos trocáveis que estão adsorvidos nos coloides do solo. Um solo ácido, portanto, possui pobreza de nutrientes, alto teor de Al tóxico, excesso de Mn, alta deficiência de P e de alguns nutrientes. Existem vários
métodos para determinar o pH do solo: pH em água, pH em CaCl2 e SMP. O pH em água foi, durante muito tempo o método padrão. Ele é um indicativo da acidez ativa. Como o solo possui ácidos fracos, outras formas de acidez não aparecem. Este método tem um inconveniente que é a umidade das amostras até chegarem ao laboratório, o que provoca um aumento na concentração de sais. Isto prejudica a determinação do pH. Para contornar este problema, alguns Estados optaram em fazer a análise do pH em CaCl2. Alguns laboratórios ainda usam o pH em água. Neste caso, o agricultor deve, quando da retirada das amostras, deixá-las secar à sombra antes de enviar ao laboratório.
O pH em CaCl2 oferece valores menores que o pH medido em água, apesar de reduzir as possíveis interferências na solução de cloreto de cálcio. O pH SMP é usado nos estados do RS+SC e consiste na diluição do solo em uma solução tamponada. Esta solução é alterada em função da acidez potencial do solo. O índice SMP indica, numa tabela, a quantidade de calcário para elevar o pH do solo a valores de 5,5 ou 6,0 ou 6,5.
O pH do solo tem uma influência muito grande na absorção dos nutrientes essenciais às plantas. Uns dizem que uma concentração muito grande de H+ não é prejudicial às plantas. Entretanto, o que vai ser prejudicado é a disponibilidade dos nutrientes. Nas faixas mais baixas de acidez do solo, os nutrientes vão estar menos disponíveis. Na faixa de pH 6,0 a 6,5 encontra-se a maior disponibilidade dos nutrientes para absorção pelas plantas.

Acidez do solo e pHDe acordo com a Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, o resultado da análise hipotética acima, o pH do solo estaria classificado como muito baixo nas amostras 1 e 2.
Acidez do solo e o pHOs problemas encontrados nos solos ácidos explicam o porquê da preocupação dos técnicos, pois não é somente o valor do pH do solo que está em jogo, mas uma série de desvantagens advindas desta situação. Nos solos ácidos existe deficiência de fósforo. Os fosfatados aplicados no solo apenas 15 a 30% do fósforo é aproveitado pelas plantas, pois o fósforo é fixado formando compostos de ferro e alumínio que são insolúveis e, portanto, o fósforo preso não é aproveitado pelas plantas. Nestes solos, o cálcio (Ca²+), o magnésio (Mg²+) e o potássio (K+) se encontram com baixos teores e altos teores de alumínio trocável. A presença de alumínio (Al³+) tóxico é prejudicial às plantas. Há uma boa disponibilidade de ferro (Fe³+), cobre (Cu²+), manganês (Mn²+) e zinco (Zn²+), com exceção do molibdênio (Mo²+) que diminui a sua solubilidade à medida que o pH do solo decresce. Entretanto, a boa disponibilidade de Fe e Mn pode aumentar muito e chegar a ser tóxica para as plantas. Nos solos ácidos, a CTC efetiva (t) e a porcentagem de saturação por bases (V%) são baixas, com uma alta lixiviação de cátions trocáveis, ou seja, Ca²+, Mg²+, K+.
Queremos chamar a atenção que as tabelas de classificação do pH em água e CaCl2 devem ter pequenas variações de Estado para Estado. Quem interpreta uma análise do solo, para recomendar corretivo e fertilizante, deve ter em mãos estas tabelas. O nosso propósito, neste artigo e nos futuros sobre interpretação da análise do solo, é familarizar o técnico com os conceitos contidos no resultado laboratorial.
Na literatura encontramos indicações de que quando aumenta o pH do solo mais elevada é a saturação por bases (V%). Mas, não se pode estimar o V% a partir do pH do solo.
            Cátions trocáveis e as CTC's na análise do solo - Interpretaçao da análise do solo (3)
            Cátions ácidos e saturação por aluminio na analise do solo - Interpretação da análise do solo (4)

REFERÊNCIAS

ALVAREZ V, V.H.; RIBEIRO, A.C.; GUIMARÃES, P.T.G. Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais - 5a. aproximação. 1999. Viçosa, Minas Gerais. Disponível em:<http://pt.scribd.com/doc/58701933/5%C2%AA-Aproximacao-Manual-de-Adubacoes-PDF> Acesso em: 13 de jun. 2012.

LOPES, A.S.; GUILHERME, L.R.G. Interpretação de analise do solo - conceitos e aplicações. ANDA - Associação Nacional para Difusão do Adubos - Boletim Técnico N. 2. Ed. revisada. 2004.

4 comentários:

  1. quando se determina o pH do solo em Água e em kcL 1N

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos 3 casos a considerar:
      1) pH em água é maior que o pH em KCl - é uma indicação de predominância das cargas negativas: o solo retém mais cátions básicos do que ânions;
      2) pH em água é menor que o pH em KCl - predominância de cargas positivas; o solo retém mais ânions do que cátions;
      3) pH em água e o pH em KCl são iguais - o solo retém cátions e ânions na mesma proporção e em baixas quantidades.

      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.