quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Poder de Neutralização e Reatividade do Calcário

Fonte: agronomiacomgismonti.blogspot.com
Para neutralizar a acidez do solo é comum a utilização de calcário. Num solo ácido, com pH menor que 5.6, as plantas não desenvolvem bem e sofrem com a ação do Al³+ tóxico. A partir do pH 5.5, quando não deve mais existir alumínio tóxico no solo, esta disponibilidade começa a aumentar. Por isso, a melhor faixa de pH para o desenvolvimento das plantas está na
entre 6,0 a 7,0. Na escolha do calcário é preciso levar em consideração o poder de neutralização (PN), a granulometria das partículas que determinam a reatividade (RE), e os teores de CaO e MgO. Os calcários calcíticos são aqueles que apresentam maior teor de CaO e menor teor de MgO (< 5%), os dolomíticos apresentam, além do CaO, mais de 12% de MgO. Num calcário temos o poder neutralizante (PN) e a reatividade (RE) das partículas.
O PN vem a ser a conversão da CaO e MgO em CaCO3 equivalente (ECaCO3). desta maneira o PN do carbonato de cálcio (CaCO3) é igual a 100%. O PN do CaO é 179 e o PN do MgO é 248, ou seja, neutralizam a acidez do solo, respectivamente, na faixa de 1,7884 e de 2,48 vezes em relação ao PN dos carbonatos. Portanto, o poder de neutralização (PN) vem a ser a capacidade do produto em neutralizar ácidos. Quanto maior o PN de um calcário, maior é a quantidade de ácidos que ele neutraliza.
O teor de CaO e MgO é a forma como os laboratórios expressam os resultados das análises do produto. O equivalente em carbonato de cálcio do CaO é 1,7884 e do MgO é 2,48. O PN é calculado da seguinte maneira:
Conhecendo-se os teores de CaO e de MgO, pode-se calcular o equivalente em carbonato de cálcio. Por exemplo: um calcário que apresenta 36% de CaO e 12% de MgO.
36% de CaO x 1,7884 = 64,38
12% de MgO x 2,48 = 29,76
PN = 64,38 + 29,76 = 94%
Mas, não somente o valor do PN do calcário deve ser considerado para determinar a qualidade do produto. É preciso que o calcário reaja rapidamente no solo, em  um a dois meses, e vai depender da granulometria de suas partículas. Para isto, se calcula a reatividade do calcário (RE). Partículas maiores que 2 mm não reagem no processo da neutralização levando muito tempo para reagir com os ácidos do solo. As partículas com diâmetro entre 2 e 0,84 mm reagem com o solo em dois a três meses, passando na peneira ABNT 10 e retido na peneira ABNT 20. As partículas entre 0,84 e 0,30 mm reagem 60% neste período, passando na peneira ABNT 20 e retido na peneira ABNT 50. As partículas menores que 0,30 mm reagem em seis meses. Estes fatores são usados no cálculo da reatividade (RE).
Por exemplo: um calcário apresentou a seguinte análise granulométrico:
56% passam na peneira ABNT 50 com diâmetro dos orifícios de 0,30 mm;
28% são retidos na peneira ABNT 50 mas passam na peneira ABNT 20 que tem diâmetro de 0,84 mm;
15% são retidos na peneira 20, mas passam na peneira ABNT 10 cujo diâmetro dos orifícios é de 2,00 mm;
1% são retidos na peneira ABNT 10.
A fórmula a ser utilizada para cálculo da reatividade pode ser visualizada acessando:

RE (%) = [(1x0)+(20x15)+(60x28)+(100x56)] / 100
RE (%) = [0 + 300 + 1680 + 5600]
RE (%) = 7580/100
RE = 75,80
Este valor indica que 75,8% das partículas do calcário reagirão no solo num período de dois três meses.

PRNT (%) = (PN x RE) / 100
PRNT (%) = (94 x 75,8)
PRNT = 71%

Este PRNT significa que uma tonelada deste calcário apresentará um efeito de neutralização da acidez do solo igual a 710 kg de carbonato de cálcio puro e finamente moído, no período de dois a três meses.
Uma coisa que não devemos esquecer é que as recomendações de calagem, pela análise do solo, são para a utilização de um calcário agrícola com PRNT igual a 100% e para ser incorporado na camada arável, ou seja, de 20 cm. Quando o calcário que vai ser utilizado apresenta um PRNT, por exemplo, 80%, devemos fazer a correção da quantidade a ser empregada. Para corrigir esta quantidade usa-se um fator conhecido na literatura como "f".
f = 100/PRNT
f = 100/80
f = 1,25
Se a recomendação de calagem foi de 4,0 t/ha (PRNT 100%), a quantidade corrigida será:
4,0 t/ha x 1,25 = 5,0 t/ha

4 comentários:

  1. Não entendi o cálculo feito para o valor de PN. De onde saiu o 53,7?? E essa conta: PN = 53,7 x 29,76 = 94%... 53,7 x 29,76 nunca dará 94!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão. No lugar de 53,7 o correto é 64,38. No cálculo do PN, o sinal está errado: deve ser + e não x
      PN = 64,38 + 29,76 = 94%
      Obrigado pelo comentário. Vamos atualizar a publicação com os dados certos.

      Excluir
  2. pode-se misturar o NPK com calcário na formulação de substrato? existe a afirmação de que um neutralizaria o outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é recomendado misturar principalmente com os adubos fosfatados. Deve haver uma antecedência entre a aplicação do calcário e, no mínimo, 30 dias após a aplicação de adubo fosfatado

      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.