domingo, 12 de maio de 2019

Tenho a Análise do Solo. E Agora? O Que Faço?

Se você fez a análise do solo é sinal que você quer visualizar a estrutura físico-química deste solo e dar os passos para recuperar sua fertilidade. A análise do solo, feita de maneira correta, é o primeiro passo para quem quer adotar as técnicas modernas e viáveis da agricultura consciente e partir para um aumento da produção.
No Brasil, os solos se caracterizam, em geral, por serem ácidos e pobres em nutrientes. O desmatamento deu origem à novas áreas de terras que, quando exploradas, apresentavam rendimentos satisfatórios. E assim, ano após ano sem reposição de nutrientes, até que os solos começaram a dar sinais de empobrecimento e de exaustão refletindo-se na queda da produção por área. Em
suma, "Aproveitou-se a fertilidade natural do solo outrora coberto de florestas, sem dar importância à reposição de nutrientes e controle da acidez."
Para o segundo passo, é necessário que você tenha em mãos o Manual de Recomendação de Calagem e Adubação específico para a sua região. As recomendações de fertilizantes e calagem são diferentes de Estado para Estado brasileiro. Ele contém todas as culturas exploradas em cada região e as respectivas recomendações de nutrientes NPK em kg/ha, de acordo com a faixa em que se encontra o teor destes nutrientes. As recomendações são em termos de N, P2O5 e K2O em kg/ha. Estas faixas são divididas em muito baixo, baixo, médio, alto e muito alto ou conforme estipulado por alguns Estados.
A necessidade de calagem (NC) em t/ha é calculada por vários métodos estipulados para cada Estado. Pode ser por saturação por bases (V%), neutralização do Al ou por meio do Al e suprimento de Ca+Mg.
Baixo alguns links onde encontrar estes manuais:
RS + SC
http://www.sbcs-nrs.org.br/docs/manual_de_adubacao_2004_versao_internet.pdf
Rio de Janeiro
https://www.embrapa.br/solos/busca-de-publicacoes/-/publicacao/963089/manual-de-calagem-e-adubacao-do-estado-do-rio-de-janeiro
São Paulo
http://www.iac.sp.gov.br/publicacoes/boletim100/versaoimprenssa.php
Paraná
http://www.sbcs-nepar.org.br/noticias/182-adquira-o-manual-de-adubacao-e-calagem-para-o-estado-do-parana
Mato Grosso
http://www.empaer.mt.gov.br/documents/8024815/9382198/Manual+de+Interpretação+de+Análise+de+Plantas+e+Solos+e+Recomendação+de+Adubação/09cae279-bdf6-5b4a-4b05-67fe9b4522f1
Pernambuco
http://www.ipa.br/livro_adubo.php
Minas Gerais
https://www.passeidireto.com/arquivo/38250132/manual-de-adubacao-mg-5a-aproximacao-revisada
Citros
http://www.ipni.net/publication/IA-BRASIL.NSF/0/75B49EAC819EB6E083258125004B5077/$FILE/Page1-3-48.pdf

Recomendação de Calagem


Seja a análise hipotética abaixo:

Quadro 1. Resultado hipotético de uma análise de solo
Vamos calcular a necessidade de calagem em t/ha (NC) pelo método saturação por bases (V%). Para isto nós precisamos saber o V% natural do solo, a saturação por bases exigida pela cultura (V2) e a CTC a pH 7 (T).
No Quadro 1. não temos o valor T e nem o valor V%. Precisamos calcular. Alguns ou todos laboratórios de análise de solo estão fornecendo estes valores já calculados.
CTC a pH 7.0 ou T = soma de bases (S ou SB) mais H+Al
soma de bases  = Ca + Mg + K expressa em cmolc/dm³.
Atenção: todos os nutrientes  devem estar expressos na mesma unidade. 
No Quadro 1. observamos que o K está expresso numa unidade diferente ou seja mg/dm³. O Ca e o Mg estão expressos em outra unidade cmolc/dm³. Portanto, devemos converter o K em cmolc/dm³.
cmolc K = massa atômica em g / valência / 100
cmolc K = 39,1 g /1/ 100
cmolc K = 0,391 g = 391 mg
1 cmolc de K equivale a ........ 391 mg
                X cmolc K .............   25 mg
X = 25 x 1 / 391 = 0,06 cmolc/dm³

Logo,
Soma de bases = 0,5 + 0,1 + 0,06 = 0,66 cmolc/dm³

CTC a pH 7.0 ou T = Soma de bases + (H+Al) expressa em cmolc/dm³.
T = 0,66 + 5,4 = 6,06 cmolc/dm³

V% = Soma de bases x 100 / T  '.'  V% = 0,66 x 100 / 6,06  .'.  V = 10,89 %
Como verificamos, um solo com pobreza de bases que reflete no V%.
A fórmula para calcular a necessidade de calagem (NC em t/ha) no método saturação por bases é:
NC(t/ha)  = (V2 - V1) x T /100
Onde:
V2 = saturação por bases requerida por determinada cultura;
V1 = saturação por bases natural do solo, neste caso 10,89%
T = CTC a pH 7.0 neste caso 6,06 cmolc/dm³
Por hipótese seja uma cultura que exige um V2 = 60%. Então,
NC(t/ha) = (60-10,84) x 6,06 /100
NC (t/ha) = 2,98 t/ha
A recomendação de calagem é para uma camada de solo de 20 cm e um calcário com 100% de PRNT. Se o calcário tem um PRNT acima ou abaixo de 100%, você deve fazer a correção da quantidade. Se o PRNT for de 80%, a correção será 100/80 x 2,98t/ha = 3,725 t/ha ou 3.725 kg/ha.
LEIA:


Como achar a adubação?


No manual de recomendação de calagem e adubação, você procura a cultura a ser explorada e a tabela de faixa dos nutrientes NPK. Neste solo, a faixa deve ser muito baixa ou baixa. E dentro da respectiva faixa procure a recomendação de N, P2O5 e K2O em kg/ha.
Se a matéria orgânica estiver expressa em dag ou % faça a conversão do g/kg expresso na análise do solo. Neste caso, divida g/kg por 10 e terá o valor em dag = %. No Quadro 1. o valor da MO é de 21/10 = 2,1 % ou 2,1 dag/kg.
Por hipótese, a recomendação de P2O5 foi de 80 kg/ha e a de K2O de 60 kg/ka. A recomendação de N é de 20 kg/ha e o restante em cobertura. Então temos uma formulação de adubo 20-80-60. Devemos simplificar esta formulação. Dividindo tudo por 20 teremos 1-4-3. Toda a formulação de fertilizante que estiver nesta relação 1-4-3 poderá ser usada. A diferença será somente na quantidade/ha.
Multiplicando a relação por 5 teremos: 05 - 20 - 15. A quantidade será: necessidade/qdade do nutriente x 100
Então: 80/20 x 100 = 400 kg/ha.
Mutiplicando por 6 teremos 06 - 24- 18. A quantidade 80/24 x 100 = 333 kg/ha

Para saber mais, acesse
Encontrando formulações similares

4 comentários:

  1. Bom dia, professor!
    Após alguns anos, comecei a me questionar sobre o a recomendação de calagem padrão para cada estado. Aqui no RS, temos o Índice SMP, e este muitas vezes me parece insuficiente para corrigir os problemas que encontramos nos variados solos daqui. Sendo assim, gostaria de entender qual a razão de haver um pré-definição por estado e não por natureza de solo e/ou problema existente em determinado ambiente?
    Desdea já, obrigado! Parabéns pelo site!
    Fábio Maciel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os órgãos de pesquisa realizam testes em que é analisada a resposta do calcário, dosagem, produção alcançada por área, comportamento da CTC do solo, saturação de bases, etc. Assim eles determinam que para tal Estado o melhor método é a saturação por bases é o melhor método para determinar a calagem; em outros Estados o melhor método seria a neutralização d Al³ mais suprimento de (Ca+Mg); para solos arenosos é outro método. No RS, acharam que o método SM é que daria melhor resposta.

      Excluir
  2. O potássio ,quando a recomendacao e não aplicar mais que 50kg no plantio isso é referente 50kg de cloreto ou de potassio

    ResponderExcluir
  3. as tabelas oficiais de recomendação de potássio se baseiam em kg de K2O/ha e não quilos por ha de matéria prima (cloreto de potássio).
    O cloreto tem 60% de K2O ,ou seja, 60 kg de K2O em cada 100 Kg de cloreto. Portanto, a recomendação será menos de 90 kg/ha de cloreto.

    ResponderExcluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.