sexta-feira, 17 de abril de 2009

Encontrando Fórmulas Similares de Adubos

Temos a recomendação de nutrientes NPK, conforme a análise do solo, e no mercado existe uma enorme quantidade de fórmulas. Como escolhermos as que se adaptam à recomendação? Outras vezes nos é recomendada uma fórmula de fertilizante e não a encontramos no mercado. Como escolher outras que nos dêem a mesma quantidade de nutrientes variando apenas na quantidade a ser aplicada ao solo? Vamos tentar explicar como diversas fórmulas que estão na mesma relação de nutrientes podem ser usadas sem prejuízo na dose NPK.

Seja uma mistura de grânulos com fórmula comercialmente vendida como 05-30-15.
Isto quer dizer que esta mistura contém: 5% de Nitrogênio;30% de Fósforo (P2O5); 15% de Potássio (K2O) .
Isto quer dizer que em cada 100 kg deste adubo (2 sacos) teremos: 5 kg de N; 30 kg de P2O5 e 15 kg de K2O. Em 1.000 kg ou 1 tonelada teremos: 50 kg de N ; 300 kg de P2O5 e 150 kg de K2O .
Se somarmos os nutrientes da fórmula acima veremos que existe 50% de nutrientes ou seja 50 kg de NPK em 100 kg de adubo ou 500 kg de NPK numa tonelada.
Então vem a pergunta: Eu compro 100 kg de adubo e têm somente 50 kg de NPK. E os restantes 50 kg ?
Como não existem matérias primas que possuem 100% de N, 100% de P2O5 e 100% de K20, os restantes 50% são outros nutrientes que fazem parte da composição das mesmas. Por exemplo: o sulfato de amônio não contém somente nitrogênio (N) mas contém, também, na sua composição carbono (C.) e oxigênio (O).
O superfosfato simples além do fósforo (P) contém cálcio (Ca), hidrogênio (H) e oxigênio (O). O cloreto de potássio contém também, além do potássio, o cloro (Cl).

ESCOLHA DAS FÓRMULAS DE ADUBO BASEADO NA RELAÇÃO DE NUTRIENTES:
1. Vamos escolher uma cultura de milho e dentro das recomendações para o RS+SC, as referentes a um solo, com 2% de matéria orgânica, baixo teor de fósforo e muito baixo teor de potássio, correção gradual (1° cultivo).
Os valores encontrados foram:
Nitrogênio: 80 kg/ha ou seja 20 kg no plantio e 60 kg em cobertura;
Fósforo (P2O5): 85 kg/ha
Potássio (K2O): 110 kg/ha
Teremos então no plantio, na seqüência NPK :
20 (N) – 85 (P2O5) – 110 (K2O)
Dividindo estes números pelo menor (20), teremos uma relação: 1 – 4,25 – 5,5

Multiplicando-se estes índices por coeficientes, teremos diversa fórmulas NPK compatíveis que poderão ser usadas mas, é claro, em quantidades diferentes.
X 4 = 4 – 17 – 22
X 5 = 5 – 22 – 28
X 6 = 6 – 26 – 33
Todas são formulações compatíveis que podem ser usadas pois estão numa relação perfeita com as necessidades de nutrientes.
Se permite uma variação de ± 10% nas quantidades recomendadas para se adequarem às formulações de adubos existentes no mercado.
Para saber a quantidade de cada uma destas formulações para ser aplicada por hectare a operação é a seguinte: como os números das fórmulas estão numa relação perfeita entre eles, podemos usar qualquer um deles para calcular a quantidade.
Relembramos, como já vimos anteriormente, uma fórmula 5-30-15 quer dizer que em cada 100 kg teremos 5 kg de N, 30 kg de P2O5 e 15 kg de K2O .
Por exemplo a fórmula 04 – 17 – 22 encontrada acima: tem 4 kg de N, 17 kg de P2O5 e 22 kg de K2O em cada 100 quilos.
A fórmula matemática a ser empregada é:
N.A (kg/ha) = (Dose de nutriente recomendada x 100) / Teor do nutriente na fórmula (%)



N.A. (kg/ha) = (20 x 100) / 4 = 500kg/ha
N.A (kg/ha = necessidade de adubo em kg/ha.
Portanto teríamos que usar 500 kg/ha desta formulação.
Se utilizarmos o teor de fósforo na formulação chegaríamos ao mesmo resultado.
N.A. (kg/ha) = (85 x 100) / 17 = 500 kg/ha

E se a escolha for a fórmula 5 – 22 – 28 ?
N.A (kg/ha) = = 400 kg/ha (baseado no teor de N) 5
N.A (kg/ha) = (20 x 100) / 5 = 400 kg/ha

E se a escolha for a fórmula 6 – 26 – 33 ?
N.A (kg/ha) = (20 x 100) / 6 = 335 kg/ha
Quanto mais concentrada a fórmula menor a quantidade de adubo por hectare.

35 comentários:

  1. Tenho uma analise de solo. Como faço para chegar na quantidade de adubos que terei q colocar?
    Como faço para saber quanto tenho que colocar de cada um?

    É de acordo com a cultura?
    Fico no aguardo.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Daniel

    É de acordo com a cultura e com a recomendação dos órgãos oficiais para o seu Estado.
    Você precisa da tabela de recomendação de nutrientes para a cultura que vai plantar. Os órgãos de pesquisa recomendam as quantidades que devem ser usadas de NPK para cada cultura, em tabelas que variam de Estado para Estado brasileiro.
    Nesta tabela, vc procura as faixas que se enquadram os teores de N, P e K da análise. Conforme a faixa em que se enquadram, são recomendadas as quantidades de N, P2O5 e K2O em quilos por hectare.
    Veja o link abaixo
    http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2011/06/calcular-necessidade-de-adubacao.html

    Após ter as quantidades, vc vai procurar a fórmula de fertilizante a ser usado e a quantidade em kg/ha. Isto está explicado neste artigo que vc comentou:
    Encontrando fórmulas similares de adubos.
    Um abraço
    Gastao (gismonti)

    ResponderExcluir
  3. Bom dia!
    Recebi uma análise de solo com recomendação para aplicação de 60 kg de N, 30 Kg de P2O5 e 30 kg de K2O. Na prática, de acordo com os adubos encontrados no mercado, qual a quantidade de adubo devo aplicar? (Fonte de N - uréia; fonte de K2O - KCl; fonte de P2O5 - SS ou ST).
    Aguardo resposta. Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gizelle, boa tarde.
      Não recomendo fazer a mistura de fertilizantes simples como uréia+superfosfatos+cloreto potássio, pois vc precisaria de um misturador instalado na sua propriedade. A não ser que vc o tenha ou as quantidades sejam muito pequenas. O melhor é usar uma formulação pronta. Você precisa de 60N + 30 P2O5 + 30 K2O Vc não diz se o N será aplicado todo no plantio. Se foi recomendado a cobertura nitrogenada vc deve diminuir a quantidade dos 60. Vamos partir de que os 60N serão aplicados na base. Dividindo a relação 60-30-30 por 30 teremos uma relação simplificada 2-1-1. As formulações 20-10-10 (300kg/ha), 24-12-12 (250 kg/ha) Releia o artigo e vc encontrará como foram obtidas estas formulações e outras que serão possíveis.

      Excluir
    2. Olá, bom dia!
      Obrigada pela resposta.
      O P será aplicado de uma só vez, o N e o K 50% no plantio e 50% na cobertura.

      Excluir
    3. Gizelle, boa noite. Nestas condições você deverá aplicar na base, 30 kgN, 30 kgP2O5 e 15 kgK2O. A relação simplificada agora é (dividindo por 15): 2-2-1. As formulações 12-12-6 (250 kg/ha, 16-16-8 (190 kg/ha),10-10-05 (300 kg/ha), e outras que respeitem esta relação 2-2-1. Para cobertura será preciso aplicar 30 kgN e 15 kg K2O. A relação é 2-0-1. Você pode aplicar os dois nutrientes (NK) juntos através de formulações que guardem a relação 2-0-1. Por exemplo: 16-00-08 (190 kg/ha), 20-00-10 (150 kg/ha), 24-00-12 (125 kg/ha), 10-00-05 (300 kg/ha. Se preferir aplicar, na cobertura, uréia e cloreto de potássio, a quantidade será: uréia (70 kg/ha) e cloreto de potássio (25 kg/ha).

      Excluir
    4. Olá,
      muito obrigada pela atenção!
      tenha um bom dia!

      Excluir
  4. ola gostaria de saber como eu faço a recomendação de adubação e a matéria prima necessária para formular o fertilizante estou com algumas duvidas nos cálculos.. Eu tenho P-Rem =7,9 meu P= 3,85 meu K= 69. Espaçamento de 3,8 por 0,6 idade da lavoura 12 anos (em produção) Produtividade esperada 55 sacas..

    ResponderExcluir
  5. Gabriela, primeiro qual a cultura?. Segundo: vc tem que ter em mãos a tabela de recomendação de adubação do seu Estado para a cultura que vc vai usar. Sugiro que vc leia o artigo sobre interpretação de análise do solo - adubação do cafeeiro. O raciocínio para encontrar a quantidade de NPK é o mesmo.
    http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2012/03/interpretacao-analise-do-solo-adubacao_15.html

    Quanto ao teor de P, ele está muito baixo, o que vc pode verificar acessando o link
    http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2012/03/fosforo-remanescente-nivel-critico.html

    Identificando as faixas de P e K, da tabela do seu Estado, vc vai ter a recomendação de N, P2O5 e K2O em kg/ha. Aí é só fazer o que diz a postagem que vc colocou o seu comentário

    ResponderExcluir
  6. Olá Boa noite, onde encontro recomendações de adubação para culturas florestais no estado de Goiás?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você deve encontrar nos órgãos de pesquisa como Embrapa, nos escritórios da EMATER/GO, nos laboratórios oficiais de análise do solo, nas assistências técnica, etc.

      Excluir
  7. Existem várias maneiras de formular uma mesma fórmula de adubo não é verdade? De acordo com as máterias primas utilizadas há possíbilidade de se utilizar "enchimento" nos adubos, barateando os mesmos! Gostaria se possível, que comentasse sobre esse tema, ou sugerisse alguma literatura sobre o mesmo, pois tenho dificuldade de convencer os produtores que eu atendo, que nem sempre o adubo mais barato é o que irá dar o melhor resultado na lavoura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os adubos para serem comercializados precisam seguir as regras da Legislação De Fertilizantes. Somente se pode comercializar garantindo o que se vende, ou seja, tantos % de N, de P2O5 e de K2O. As matérias-primas reunidas na mistura têm que garantir as quantidades de nutrientes que foram propostas pelo fabricante no registro do produto Uma formulação mais barata que outra pode ser que as garantias de NPK registradas são menores que outra mais cara.
      5-10-20 deve ser mais barata que uma 5-15-20.
      O produtor necessita de uma formulação, por exemplo, 05-20-20 que fornecer em cada 100kg, 5 kg de N, 20 kg de P2O5 e 20 kg de K2O
      Se ele usar uma formulação mais barata que essa, por exemplo, 05-15- 18 ela vai oferecer em cada 100kg, 5 kg de N, 15 kg de P2O5 e 18 kg de K2O.
      Portanto ele está colocando menos nutriente na terra.

      Excluir
  8. Tenho a seguinte recomendação de adubação de plantio para olerícolas: 30 kg de N, 250 kg de P2O5 e 80 kg de K2O.
    Irei utilizar a fórmula 25 - 8 -17, porque já havia sido compra.
    Qual a quantidade (kg/ha) da fórmula que deverei utilizar ? Devo levar em consideração qual nutriente ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Giovanni, grande problema:
      Você precisa pouco N e muito fósforo, e possui uma fórmula com muito N e pouco P
      Me confirme se é mesmo 30 kg de N ou é 300 kg.
      Se confirmar os 30, vai ser difícil você calcular a quantidade interagindo os três elementos (NPK). Para esse caso uma fórmula 04-33-11 a base de 750 kg/ha forneceria os NPK em quantidades corretas..

      Excluir
  9. Olá Gastão, estou com um problema aqui na lista de exercicios, em 50 kg de uma mistura 4-20-12 quantos kg existem de N,P e K?
    obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, você leu o artigo? Está explicado no início. As garantias da fórmula estão em %. Ou seja, cada 100 kg de adubo tem o que é garantido na fórmula. Leia com atenção o artigo, pois quero que vc aprenda a fazer e não eu resolver o problema.

      Excluir
  10. Boa tarde, estou com duvida na formulacao de NPK para plantas arboreas nativas no estado do rio grande do sul.A aplicação será realizada nas covas de 40x50. Teria alguma indicaçao de quantidade por cova?

    ResponderExcluir
  11. Dr Gastão, seu exemplo está muito equivocado. Se você adubar milho na semeadura com 20kg de N e 110kg de KCl, você estará ferrado. Seu estande vai ser péssimo. Para milho, na semeadura, se recomenda que a soma de N + KCl seja de no máximo 100Kg/ha, uma vez que o efeito salino destes elementos é altíssimo, o que afetaria demais no processo germinativo, gerando grandes falhas de estande. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você interpretou o texto corretamente, verá que o solo é muito baixo em teor de potássio. Logo, para as culturas apresentarem alto rendimento elas precisam de mais nutrientes. Claro que o cloreto de potássio apresenta um alto grau de salinidade. Mas, aqui depende do manejo da adubação: ninguém vai querer aplicar o adubo junto com a semente. Existe uma técnica para isso, e você deve conhecê-la. Ou podemos aplicar uma parte do potássio na semeadura e outra parte em cobertura, principalmente em solos arenosos. Minas Gerais recomenda 100 kg/ha de K2O para solos com baixo teor desse nutriente. Veja que não é 100 kg de KCl e sim de K2O que equivale a uma aplicação de 170 kg/ka de KCl. No Rio Grande do Sul a recomendação é de 110 kg/ha de K2O no primeiro cultivo, isto é, quando se quer fazer uma adubação corretiva gradual mais manutenção.

      Excluir
    2. Não tenho informações. O correto é uma análise do solo e depois consultar a assistência técnica da sua região para olhar o local, solo, topografia, etc

      Excluir
  12. Dr. Braga estou com uma duvida em uma questão, já tentei de varias formas não não consegui o calculo correto de se fazer: Num plantio de gravioleiras de 5ha, implantadas no espaçamento de 5m x 5m, o produtor precisa fazer a
    adubação de cobertura com nitrogênio e potássio. Para isso, recomendou-se ao produtor a aplicação de 45 kg de N/ha e 75 kg de K2O/ha. Quantos quilos de adubo, respectivamente, de ureia e de cloreto de potássio, o produtor terá que comprar para fazer a adubação de todas as plantas na área?
    A resposta estcorreta é 500 quilos de ureia e 625 de cloreto de potássio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 45kg N x 5 ha = 225 kg N
      75 kg K2O x 5 ha = 375 kg K2O
      100 kg de ureia têm 45% de N. Para ter 225 kg N vc precisa X kg de ureia.
      100 kg de cloreto de potássio têm 60 kg K2O. Para obter 375 kg K2O vc precisa X kg de cloreto de potássio. É uma simples regra de três para vc completar sozinho.

      Excluir
  13. Parabéns pelo trabalho professor, bem explicado e claro, porém vi uns posts que o pessoal nâo Lê o artigo e refaz perguntas obvias, "como vc consegue ter tanta paciencia para responder a todos em detalhe"....abracos, e sou fâ de seu blog. Sou formado em Administracao de empresas, e troquei o trabalhos em um supermercado para me dedicar a plantacao e criacao de bovino, e seus post tem me ajudado muito a desenvolver as atividades, sao de pessoas como o senhor, que tem os dados e se esforca para ajudar a quem tem realmente interesse nessas atividades do 1 setor, pois isso desenvolve regioes, e ajuda pessoas leigas como eu a desenvolver um trabalho tao prazeroso e humilde, nao temos grande escala de terra, trabalhamos eu e meu pai aqui no MT, e afirmo que ate agora nao encontrei uma fonte tao completa e confiavel como a do seu blog, Parabéns mesmo de coracao e que o senhor tenha muitos anos de vida pra contribuir e ajudar os que mais precisam.

    ResponderExcluir
  14. Obrigado pelas palavras. São um estímulo muito grande para continuarmos o nosso trabalho. Obraigado, e sucesso também no seu empreendimento. Um abraço

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Como faço para chegar a quantidade em Kg de N/ha na cobertura? Qual é o calculo que devo fazer?
    Aguardo resposta!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se entendi bem a sua pergunta. Você precisa primeiro ter uma recomendação de N a ser usada em cobertura. Depois, saber qual o adubo nitrogenado você vai aplicar. Por hipótese: a recomendação é de 40 kg/ha de N em cobertura. Você tem a ureia como adubo nitrogenado com 45% de N. O cálculo será o seguinte:
      Quantidade de ureia (kg/ha) = 40/45 x 100
      Quantidade ureia = 90 kg/ha (arredondando)
      É isto que você desejava saber? Se não for explique melhor sua pergunta, por favor.

      Excluir
  16. Ola boa noite!!!
    Com esses dados : SB= 2 cmolc/dm; T= 5,7 cmolc/dm; t= 2,2 cmolc/dm; m%= 9,09 %; NC= 1,425 tn/ha; QC= 1,66 ou 1,7 tn/ha como faço uma recomendação de adubação de plantio para milho:
    Na linha de semeadura. Colocar quantidade de adubo formulado utilizado
    Se for aplicar a lanço. Colocar quantidade de adubo formulado utilizado
    Recomendação de cobertura. Colocar quantidade de adubo formulado utilizado.
    Explicar como o adubo de plantio e cobertura será aplicado.
    desde ja agradeco aguaro respostas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entre na página do blog e na coluna a direita existe "artigos de interesse geral", selecione análise do solo interpretação, clique e você encontrará vários artigos como fazer esta recomendação.

      Excluir
  17. Olá, gostaria de saber na pratica a quantidade de real de adubo a ser usado , como no seguinte exemplo: tenho uma formulação minima de N-P2O5-K2O de 1 - 4 - 2.5.Uma formulação comercial adequada seria 4 16 10, porem encontro facilmente para compra o 4 -14 -8 . Fazendo os calculo para este ultimo, (usando o P como base) teria que utilitizar 116 Kg/Ha , mas com essa formulação tenho um pequeno excesso de N, e um deficit de K ( tenho 9.2 Kg e precisaria de 10).NA Pratica essa diferença é significativa? tenho q fazer uma adubação de cobertura , mas acredito que seja inviavel procurar por uma formulação para atender 60 Kg de N e .8 de K.
    Muito obrigado e aguardo resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. As recomendações de adubação admitem uma tolerãncia de mais 5% ou menos 5%. Assim, se recomendam 16kg de P2O5 a tolerância varia entre 16,8 e 15,2 kg de P2O5. Se 10 kg de K2O, a variação será entre 9,5 e 10,5. Se não for possível encontrar a fórmula, fazer o ajuste pelo nutriente mais deficiente.

      Excluir
  18. Olá, boa tarde. gostaria que o senhor pudesse retirar algumas duvidas em que venho enfrentando em relação a formula do adubo. Por exemplo na parte do texto em que diz "Dividindo estes números pelo menor (20), teremos uma relação: 1 – 4,25 – 5,5
    Multiplicando-se estes índices por coeficientes, teremos diversa fórmulas NPK compatíveis que poderão ser usadas mas, é claro, em quantidades diferentes.
    X 4 = 4 – 17 – 22
    X 5 = 5 – 22 – 28
    X 6 = 6 – 26 – 33"
    Não consigo compreender por qual numero deveríamos estar multiplicando para encontrar a formula do adubo final. Em um dos meus cálculos, já dividido pelo numero menor encontrei um resultado 1- 5- 5, mas não entendo por que numero devo multiplicar agora para encontrar a formula de adubo. Se pudesse esclarecer essa minha duvida ficaria grata!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Encontrar a fórmula de adubo quer dizer "encontrar uma fórmula que você encontre no mercado que as vende". Muitas vezes, nos é recomendado uma fórmula, mas não a encontramos no comércio. Daí, o objetivo de calcular as fórmulas similares que vão fornecer as mesmas quantidades de nutrientes. Você fez tudo certo e encontrou a relação 1-5-5,5. Se vc multiplicar esta relação simplificada por 4, 5, 6 você obterá as seguintes fórmulas similares: 4-20-22; 5-25-27; 6-30-33. Qualquer uma destas fórmulas que você encontrar no comércio poderá ser usada. A única diferença entre elas é a quantidade que você vai usar e o texto explica como calcular. Boa sorte!

      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.