quinta-feira, 18 de março de 2010

Interpretando os Conceitos Básicos da Análise do Solo

Na interpretação de uma análise de solo, vários conceitos básicos são importantes para uma recomendação de fertilizantes e corretivos para determinada cultura; conceitos como a soma de bases (SB), CTC efetiva (t) e CTC a pH 7,0 (T), percentagem de saturação por bases (V%), percentagem de saturação por ácidos (M%), e percentagem de saturação por alumínio (m%), e, é claro, mais os teores de pH em água ou em outro extrator, teor de argila, teores de macronutrientes primários (NPK), de Ca e Mg, e de micronutrientes. Um conjunto de informações necessárias para um bom conhecimento da fertilidade do solo, e, através deles, o ponto de partida para uma recomendação de adubação e correção do solo. Dependendo do laboratório, muitas vezes alguns dados devem ser calculados pelo técnico; daí o objetivo desta postagem.
Para melhor ilustração dos diversos conceitos, partiremos de um exemplo baseado numa informação de dados hipotéticos da análise do solo.


Aqui surgiu um problema: o K está expresso em mg/dm³. A soma de base (SB) é expressa em cmolc/dm³; todos os elementos têm que estar expressos em cmolc/dm³. Sendo assim, o potássio (K) deve ser transformado em cmolc/dm³.
Para converter mg/dm³ de K em cmolc/dm³, multiplica-se por 0,0025582:24 mg de K/dm³ x 0,0025582 = 0,06 cmolc/dm³
Se os outros elementos que fazem parte da "soma de bases" estiverem expressos em mmolc/dm³, a conversão é a seguinte: 24 mg de K/dm³ x 0,025582 = 0,6 mmolc/dm³; ou simplesmente:0,06 cmolc/dm³ x 10 = 0,6 mmolc/dm³. Lembre-se que cmolc/dm³ x 10 = mmolc/dm³.
SOMA DE BASES (SB)
SB = Ca+Mg+K+Na expresso em cmolc/dm³ ou mmolc/dm³.

SB = 0,3+0,1+0,06 = 0,46 cmolc/dm³ ou 4,6 mmolc/dm³.
CAPACIDADE DE TROCA DE CÁTIONS EFETIVA (t)
t = Ca+Mg+K+Na+Al expresso em cmolc/dm³ ou mmolc/dm³.

t = 0,46+1,3 = 1,76 cmolc/dm³ ou 17,6 mmolc/dm³.
CAPACIDADE DE TROCA DE CÁTIONS A pH 7,0 (T)
T = Ca+Mg+K+Na+(H+Al) expresso em cmolc/dm³ ou mmolc/dm³.

T = 0,46+5,0 = 5,46 cmolc/dm³ ou 54,6 mmolc/dm³.
PERCENTAGEM DE SATURAÇÃO POR BASES (V%)
V (%) = (SB x 100) / T

V (%) = (0,46 x 100) / 5,46; V = 8,42%
PERCENTAGEM DE SATURAÇÃO POR ÁCIDOS (M%)
M (%) = 100-V

M = 100-8,42; M = 91,58%PERCENTAGEM DE SATURAÇÃO POR ALUMÍNIO (m%)
m (%) = (100 x Al) / t
 
m (%) = (100x1,3) / 1,76; m = 73,86%
ATENÇÃO:
Cuide para usar corretamente os valores em cmolc/dm³ ou mmolc/dm³. Não misture-os para não chegar a valores incorretos.
Os resultados obtidos acima são descritos no quadro abaixo:


INTERPRETANDO OS RESULTADOS OBTIDOS ACIMA:

1) o solo se caracteriza por uma pobreza muito grande de nutrientes;
2) o solo apresenta um pH excessivamente ácido. Isto é uma limitante para o desenvolvimento das culturas sensíveis à acidez, e à disponibilidade de nutrientes que, por sua vez, já é bastante baixa: a produção da lavoura será limitada por estes fatores. Então, a necessidade imperiosa de proceder-se à correção da acidez e à elevação dos níveis de fertilidade do solo;
3) a CTC efetiva é muito baixa. Os solos, nas condições de muita acidez, apresentam baixa capacidade de reter cátions: as perdas de nutrientes, por lixiviação, são muito grandes. Apesar deste solo apresentar 650 g/kg de argilas, elas devem ser de baixa reatividade: pode ser uma caulinita (1:1) ou óxidos e hidróxidos de ferro e alumínio;
4) chegamos ao resultado que 73,86% dos pontos de troca estão ocupados pelo alumínio (Al), ou uma percentagem de quanto da CTC efetiva está ocupada pelo alumínio trocável ou acidez trocável; isto provoca sérias limitações no desenvolvimento das lavouras e, consequentemente, à produção das mesmas. Quanto mais ácido é um solo, maior o teor de Al trocável, menor os teores de cátions trocáveis, menor a soma de bases, e uma maior saturação de alumínio;
5) a CTC a pH 7,0 no valor de 5,46 confirma a baixa reatividade das argilas deste solo mesmo que ele contenha 650 g/kg delas;
6) o solo apresenta uma percentagem de saturação por bases (V%) muito baixa, 8,42%. O valor V dá uma idéia de quanto por cento dos pontos de troca de cátions estão ocupados por bases: em outras palavras, quanto por cento das cargas negativas estão ocupadas por Ca, Mg, K, Na, e passíveis de troca a pH 7,0 em comparação com aqueles pontos ocupados por H+Al. Este solo analisado é considerado de fertilidade muito baixa. Uma necessidade alta de calagem será precisa para elevar a saturação de bases. Solos que apresentam valores de V menor que 50% são considerados de baixa fertilidade, enquanto os com V maior que 50% são considerados solos férteis. A saturação de bases (V%) é muito utilizada, em alguns Estados brasileiros, para calcular a necessidade de calagem.
Em postagem posterior será abordado o assunto sobre cálculo da necessidade de calagem, ou seja, as fórmulas utilizadas em alguns Estados do Brasil. Não perca!

28 comentários:

  1. Muito interessante a sua abordagem no assunto! Gostei muito deste artigo!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, André. Fique à vontade para mandar sugestões. Um abraço

    ResponderExcluir
  3. É um artigo muito detalhado, e muito esclarecedor.
    Foi muito util para mim.
    Abraço
    Fabrício Mota

    ResponderExcluir
  4. Algumas dúvidas: essa conversão (converter mg/dm³ de K em cmolc/dm³, multiplica-se por 0,025582), só é válida para o K? qual a origem desse 0,025582? Outra coisa a multiplicação de 24 x 0,025582 = 0,613968? e não a 0,06?e ai? algum erro de digitação?

    ResponderExcluir
  5. Reagia,
    obrigado por sua intervenção. Realmente existia o erro, foi feito uma confusão na hora de digitar entre cmolc e mmolc. A postagem já foi corrigida.
    O índice não é o mesmo para todos elementos. A cmolc é calculada pelo peso atômico do elemento em grama, dividido pela valência e dividido por 100, ou seja:
    1cmolc K = 39,102g / 1 / 100
    1cmolc K = 0,391 g ou 391 mg K
    1cmolc K .......... 391 mg K
    ....X.............. 1 mg K
    X = (1x1) / 391
    X = 0,002558
    No caso do cálcio Ca, valência 2
    1cmolc Ca = 40,08g /2 /100
    1cmolc Ca = 20,04g Ca ou 200 mg Ca
    Então,
    1/200 = 0,5
    Este será o índice (0,5) no caso do cálcio, se fosse necessário usar.

    ResponderExcluir
  6. Foi exelente esse assunto foi muito útil para mim !

    Obrigado pela explicação !!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Muito bom, vai me ajudar muito para estudar para a prova de fertilidade do solo!

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde... continuando com o raciocínio de Regina... finalmente para o caso do K multiplicamos por 0,25582 ou 0,025582... pois ela pergunta 0,25582 mais a resposta do exercício de calculo foi com um zero a mais... 0,025582...

    Obrigado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já foi explicado para Reagia, que houve um erro de digitaçao. O texto do artigo foi atualizado, corrigindo este erro.
      Para transformar mg dm³ em cmolc dm³:
      mg dm³ K x 0,0025582

      Para transformar mg dm³ em mmolc dm³:
      mg dm³ K x 0,025582

      Excluir
  9. bom dia > nesse caso quanto de calcario deve ser jogado em 1ha de area?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto vai depender da análise do solo. Dos teores encontrados no solo, pela análise. A quantidade de calcário é calculada sempre em tonelada para um hectare. A quantidade em tonelada ou 1.000 quilos para cada hectare vai depender destes dados. Colocar calcário, sem esta informação, podendo haver uma deficiência na aplicação ou uma supercalagem. Acesse e leia:
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2009/10/determinacao-da-necessidade-de-calagem.html

      Excluir
  10. Boa tarde,

    Para o Ca, conferme descrito acima,

    "No caso do cálcio Ca, valência 2
    1cmolc Ca = 40,08g /2 /100
    1cmolc Ca = 20,04g Ca ou 200 mg Ca
    Então,
    1/200 = 0,5
    Este será o índice (0,5) no caso do cálcio, se fosse necessário usar."

    ...o valores de de Ca em g e mg, não seriam 0,2 e 200, respectivamente? Assim como o valor do íncide, sendo 0,005?

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo
      Desculpe, mas informei na resposta do comentário da Reagia que 1/200 = 0,5. O certo é 0,005
      Vejamos:
      1 cmolc Ca = 200,4 mg
      Para transformar mg/dm³ Ca em cmolc/dm³ Ca basta dividir por 200,4 ou se adota um coeficiente, ou seja, 1/200,4 = 0,005
      Este índice 0,005 se usa somente para transformar mg/dm³ Ca em cmolc/dm³ Ca e só vale no caso do Ca.
      Exemplo:
      4 cmolc/dm³ Ca x 200,4 = 800 mg/dm³ Ca
      800 mg/dm³ Ca / 0,005 = 4 cmolc/dm³ Ca
      Leia o artigo abaixo, acessando o link que fala mais sobre o Ca e outros nutrientes
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2012/08/converter-cmolc-de-k-ca-mg-e-na-em-mgdm.html
      Um abraço

      Excluir
  11. Boa tarde Professor: gostaria de saber o critério do Sr. para decidir que valor do analise de solo para amostras estratificadas (0-10; 10-20 cm) se considera o mais representativo na interpretação dos resultados obtidos pelo Lab. Em culturas anuais. Seria o valor mas pequeno, ou calculamos o valor médio obtido nas diferentes profundidades ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendi que vc tem duas análises e dois resultados: um para a camada de 0-10 cm e outro para 10-20 cm. Se vc vai usar somente a camada de 0-10 cm vc usa a quantidade recomendada para essa camada.
      Se vai incorporar calcário na camada de 0-20 cm, você deve usar uma média das duas recomendações

      Excluir
  12. Boa tarde Professor.

    Uma dúvida, por que para o cálculo da "% de Saturação por Alumínio (m%)" é utilizado o "t" e não o "T"?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  13. t = soma de bases + Al
    Portanto o cálculo da saturação por alumínio é feito em relação ao "t"

    ResponderExcluir
  14. Muito boas estas informações, e a leitura e explicações pós foi muito enrriquecedor, gostaria de ve uma leitura desta para P em pastagens produtiva!
    ex, quanto de p é ideal para se ter uma pastagens produtiva e os comentarios sobre o fosforo no solo e suas aplicações! Eliseu

    ResponderExcluir
  15. Boa tarde professor, poderia explicar os conceitos básicos de fertilidade a partir do gráfico exposto no inicio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os conceitos estão explicados no texto. Se a sua pergunta visa saber outra coisa, peço que me explique melhor o que deseja.

      Excluir
  16. Valeu professor, saúde, grande abraço!

    ResponderExcluir
  17. Tenho uma pergunta, se eu faço o calculo de necessidade de calagem pelo método Van Raij para elevar a porcentagem de V e me da 1.6 Ton, tenho que tomar isso como quantidade de produto final ou debo de ter em conta o teor de CaCO3 e MgCO3 do Calcário para saber a quantidade final? Agradeceria muito se me ajuda com isso. Estou realmente precisando. Muito Obrigado por compartilhar seus conhecimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você deve considerar a quantidade apontada pelo método saturação por bases (V2-V1)*T /100. A recomendação se baseia num calcário que tenha um PRNT de 100%. Se não tiver, vc deverá fazer a correção desta quantidade
      f = 100/PRNT
      se o calcário tem um PRNT de 80%, a correção será:
      f = 100/80 = 1,25
      então, 1,6 x 1,25 = 2 t

      Excluir
  18. Muito enriquecedora as suas publicações! Gostaria de saber se tem alguma publicação sua que explane alguma recomendação de adubação para a cultura da uva, pode ser a qualquer região do país. Ou algo que fale sobre esse assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2013/05/adubacao-das-uvas-viniferas-para-os.html

      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.