terça-feira, 5 de agosto de 2014

Como Interpretar a Análise do Solo - Parte 1

Muitos leitores nos pedem recomendação de adubação e calagem partindo de uma análise de solo. Além da análise do solo, outras indicações devem ser adicionadas: cultura, região onde se situa a lavoura, sistema de plantio ou convencional ou plantio direto, etc... Sem estas informações, nenhuma assistência técnica é mágica para descobrir o que vai ser plantado, em que região, etc... Qual cultura? As recomendações de adubação são próprias para cada cultura. Cada vegetal tem as suas necessidades; uns exigem mais nitrogênio (N), outros exigem menos ou nada de N. O mesmo com fósforo e potássio. As quantias de nutrientes recomendadas para cada cultura são fruto de trabalhos de longos anos de pesquisas buscando os melhores resultados em termos econômicos e de acordo com cada nível de fertilidade
dos solos. Assim um resultado de análise de solo vai dar condições de interpretar a fertilidade do solo, que nas recomendações de adubação está classificada em faixas de acordo com o teor de cada macro e micronutriente. Por que é importante conhecer a região?  Porque cada região de nosso País tem diferentes tipos de solo, diferentes culturas e cada Estado elaborou seu manual de recomendação de calagem e adubação para cada cultura.
Por exemplo; o cálculo da necessidade de calagem em alguns Estados é feita pelo método saturação por bases, outros utilizam o método de neutralização do alumínio (Al) mais suprimento de cálcio (Ca) e magnésio (Mg), e algumas vezes levando em conta os fatores solo/planta. Por este motivo, Na sala com Gismonti não faz interpretação de resultados de análises de solos, pois isto deve ser da alçada da assistência local que pode estar presente no local e contatar diretamente o produtor e obter outros dados necessários para uma melhor recomendação.
Portanto, a presença da assistência técnica no local é imprescindível. Para isto, o produtor conta com vários órgãos de orientação técnica, Universidades, Embrapa e Extensão Rural, em âmbito municipal ou estadual.
A presente postagem vai ser baseada em 3 partes;
Na Parte 1 vamos buscar demonstrar como interpretar os conceitos básicos como soma de bases, cálculo das CTC's efetiva e a pH 7.0, calculo da percentagem de saturação de bases, da saturação de alumínio, etc...
Na Parte 2 mostraremos como calcular a necessidade de calagem pelos métodos de neutralização do Al e de saturação por bases.
Na Parte 3 com os dados obtidos na interpretação da análise do solo mostraremos como usar as faixas das tabelas de adubação e encontrar as quantidades de nutrientes macros recomendados nas tabelas de adubação dos Estados brasileiros.

PARTE 1 - Cálculo dos Conceitos Básicos

Vamos realizar uma série de cálculos necessários na interpretação de uma análise de solo.


1. Cálculo da Soma de Bases (SB)

SB = K + Ca + Mg + Na
Há quem não considera o Na nesta soma. isto é válido nos casos de terores insignificantes de na no solo. LEMBRETE: a SB deverá ser expressa em cmolc ou mmolc/dm³. Não podemos somar os cátions expressos em unidades diferentes, ou seja, somar cátions expressos em cmolc com cátions expressos em mmolc. Quando um cátion é expresso em mg/dm³ devemos transformá-lo em cmolc ou mmolc/dm³. No Quadro acima já fizemos a conversão do K mg/dm³ para K cmolc/dm³ que é a unidade em que os demais cátions estão expressos (cmolc/dm³). Para o leitor visualizar como se faz estas conversões, leia a postagem no link abaixo:
Converter unidades na interpretação da análise do solo

SB = 0,06 + 1,2 + 0,6 + 0,12  .'.  SB = 1,98 cmolc/dm³


2. Cálculo da Capacidade de Troca de Cátions Efetiva ou "t"

A CTC efetiva é a soma da  SB + Al
t = 1,98 + 0,5  .'.   t = 2,48 cmolc/dm³
Esta CTC efetiva é em relação ao pH natural do solo.

3. Cálculo da Capacidade de Troca de Cátions a pH 7.0 (CTC a pH 7.0 ou "T")

A CTC a pH 7.0 é a soma da SB + (H+Al)
T = 1,98 + 2,9   .'.  T = 4,88 cmolc/dm³

4. Cálculo da Saturação por Bases (V %)

A Saturação por Bases ou V é a percentagem dos cátions básicos na CTC a pH 7.0
É a fração da CTC a pH 7.0 ocupada pelos cátions básicos e vem a ser a percentagem das cargas negativas do solo neutralizadas pelos mesmos.
V (%) = 100 x SB ÷ T
V = 100 x 1,98 ÷ 4,88  .'.  V = 40,5 %
Geralmente, solos com V , 50% são considerados não férteis e solos com V > 50% são chamados de solos férteis. O V% é empregado para determinar a necessidade de calagem em relação à percentagem de saturação de bases ideal para cada cultura. isto veremos na Parte 2 desta postagem.

5. Cálculo da percentagem de saturação por alumínio ou "m"

O m% vem a ser a percentagem de saturação do alumínio (Al)  na  CTC efetiva.
m (%) = 100 x Al  ÷ t
m = 100 x 0,5 ÷ 2,48  .'.  m = 20 %


6. Cálculo das Relações entre K, Ca e Mg

Ca/Mg = 1,2 ÷ 0,6  .'.  Ca/Mg = 2
Ca/K = 1,2 ÷ 0,06  .'. Ca/K = 20
Mg/K = 0,6 ÷ 0,06  .'.  Mg/K = 10
(Ca+Mg) ÷ K = (1,2 + 0,6) ÷ 0.06  .'.  (Ca+Mg) ÷ K = 30


A interpretação do resultado da análise mostra um solo ácido e com pobreza de nutrientes, de baixa fertilidade (V < 50%), uma presença de Al que pode ser prejudicial às plantas, exigindo uma calagem, e baixo teor de matéria orgânica 0,8 % (g/dm³ ÷ 10 = % ou dag). As práticas de calagem, a fosfatagem a adubação de manutenção, a incorporação de matéria orgânica, são imprescindíveis para elevar a fertilidade do solo. O leitor deve ter em mãos o manual de recomendação de calagem e adubação para seu Estado, a fim de interpretar os valores encontrados na análise com os valores apontados pela pesquisa oficial para cada cultura. Sem estes dados da pesquisa no campo ficaria difícil para a assistência técnica indicar um plano de recuperação da fertilidade do solo.

LEIA, TAMBÉM, A CONTINUAÇÃO DESTA PUBLICAÇÃO
Como interpretar a análise de solo - Parte 2 - Calagem
Como interpretar a análise do solo - Parte 3 - Recomendação de adubação

9 comentários:

  1. Muito obrigado pela sua partilha de conhecimento! :)

    ResponderExcluir
  2. A última linha da tabela de saturação de Al deveria ter >51, caso contrário não faz sentido.

    Obrigado

    ResponderExcluir
  3. Prezado prof. Gastão,

    Normalmente recomendam pegar várias amostras de solo por uma determinada área. Inclusive recomenda-se tirar amostras de 0-20, 20-40 e 40-60 cm de profundidade. Quais são os critérios que devo adotar para saber o número de amostras ideal? E no final, a recomendação para corrigir e adubar a área inteira deve ser de acordo com a análise que indique menos fertilidade ou uma média de todas as amostras de solo? No mesmo sentido, as amostras de maiores profundidades (menos férteis) devem ser consideradas?

    Muito obrigado pelas informações e continue com o site que está sendo muito instrutivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para culturas anuais, o normal é coletar amostras da camada 0-20cm. No caso de frutíferas, também nas camadas 20-40 ou até 40-60. As recomendações de calagem e adubação são feitas para uma análise de solo que representa a média da lavoura. Ou seja, numa lavoura coleta-se amostras de vários pontos, depois mistura-se bem todas elas e tira-se uma amostra de 500 g a qual representará a média. No caso de que na lavoura se destaca diferentes tipos de solo (coloração) ou manchas onde não cresce nada ou muito mal, recomenda-se uma média destas duas áreas. Por favor, leia os artigos nos links abaixo
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2012/04/correta-amostragem-de-solo-e.html

      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2010/02/coleta-de-amostras-de-solos.html

      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2012/09/quantidade-de-calcario-em-funcao-da.html

      Um abraço

      Excluir
  4. Caro Professor Gastão, parabéns por partilhar conhecimento.

    Como posso transformar 1209 mg/kg de Cálcio (Ca) para mmolc/dm3?

    obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1 cmolc de Ca = 200 mg Ca
      1209 / 200 = 6,045 cmolc Ca
      cmolc x 10 = mmolc
      6,045 cmolc Ca x 10 = 60,45 mmolc Ca

      Excluir
  5. Bom dia! Tenho duvida em saber qual o valor de (t)e (T).
    Pois segunda sua explicação a ctc efetiva(t)é a soma das bases + Al. Já no manual da Embrapa(texto abaixo) diz que a ctc efeita é a acidez trocavel dada o valor de (H+Al). Já o ctc a ph 7,0 segundo sua explicação é a que da o valor de (H+Al), mas segunda a embrapa o ctc a ph 7,0 é a acidez potencial ou extraível ou ctc so solo.
    Gostaria de saber se o valor de t eu vou calcular a soma das bases mais o valor do aluminio dada na análise da determinação e o valor de T eu usaria o valor dado na analise da acidez trocavel(feita com Kcl 1N)ou o valor da acidez potencial(feita com acetato de calcio a ph 7,0)?

    Acidez trocável - a acidez (H + Al) liberada pela reação com solução não tamponada de KCl. Pode ser designada como acidez real e é utilizada para determinar o que se denomina CTC efetiva, que é definida como a soma das bases + (H + Al).

    Acidez potencial - a acidez obtida pela extração com solução tamponada de acetato de cálcio N pH 7,0. Pode ser denominada como acidez extraível ou acidez titulável e é por vezes referida erroneamente como acidez trocável. É utilizada para calcular a CTC do solo, definida como a soma das bases + acidez potencial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2009/08/analise-de-solos-os-conceitos-de-s-ctcs.html

      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2010/03/interpretando-os-conceitos-basicos-da.html

      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.