segunda-feira, 27 de abril de 2009

Interpretação da Análise do Solo - Parte 3 - Adubação

A adubação é a reposição dos nutrientes para as plantas. Cada planta tem uma necessidade de nutrientes. A análise do solo vai nos dar um espelho das condições de fertilidade deste solo. De acordo com os nutrientes disponíveis no solo, a recomendação vai se basear em tabelas fornecidas pelos órgãos de pesquisa. Para visualizar as publicações Parte 1 e Parte 2, basta acessar os links abaixo:
Interpretação Análise do Solo - Parte 1
Interpretação Análise do Solo - Parte 2

1° PASSO
Precisamos saber o teor de nutrientes no solo. Quem vai nos dar isto é o resultado da análise do solo. Para cada Estado brasileiro existe uma tabela com a classificação dos teores de nutrientes no solo.


Aqui verificamos que o K está expresso em mmolc/dm3. Para passar o teor de cmolc/dm3 para mmolc/dm3 basta multiplicar por 10. Ex.: 0,06 cmolc/dm3 de K é igual a 0,6 mmolc/dm3.
Por hipótese, seja um resultado de análise que aponta:
P (resina) = 4 mg/dm3
K = 0,05 cmolc/dm3. Para se adequar à tabela acima devemos multiplicar este valor por 10 para termos em mmolc/dm3. Ou seja, 0,5 mmolc/dm3.
Verificamos que o solo desta análise se enquadra na 1ª. faixa onde os teores de N, P2O5 e K2O são, respectivamente, 20 – 80 – 60.

2° PASSO
Agora devemos achar as fórmulas de fertilizantes que podem ser utilizadas.
Se dividirmos a recomendação 20-80-60 pelo menor número (20) teremos uma relação 1-4-3. Todas as fórmulas de fertilizantes que estejam nesta relação poderão ser usadas. O que vai diferenciar é a quantidade - quanto mais concentrada a fórmula menor a quantidade de adubo a ser aplicada. Para isto, multipliquemos toda relação por coeficientes:
x 5 = o resultado é uma fórmula 05-20-15
x 6 = 06-24-12
x 7 = 07-28-21
Qual a quantidade a aplicar de cada uma:
QF (kg/ha) = (dosagem recomendada / teor de nutriente na fórmula) x 100
QF = quantidade da fórmula de fertilizante em kg/ha
Dosagem recomendada do respectivo nutriente: ou N, ou P ou K
QF (kg/ha) = (20 / 5) x 100 = 400 kg/ha.
Com a fórmula 06-24-12 teremos QF (kg/ha) = (20 / 6) x 100 = 335 kg/ha
Com a fórmula 07-28-21 teremos QF (kg/ha) = (20 / 7) x 100 = 285 kg/ha


Nosso solo se enquadra na 1ª. faixa e as recomendações de N, P2O5 e K2O em kg/ha são 50-120-140. Se dividirmos pelo menor nutriente (50) teremos uma relação 1 – 2,4 – 2,8
Multiplicando esta relação por coeficientes teremos as seguintes fórmulas de fertilizantes:
x 7 = 07 – 16,8 – 19,6 arredondando teremos a fórmula 07 – 17 - 20
x 8 = 08 – 19,2 – 22,4 ou seja 08 – 20 – 22
x 9 = 09 – 21,6 – 25,2 ou seja 09 – 22 - 25
x 10 = 10 – 24 – 28
QF (kg/ha) = (50 / 10) x 100 = 500 kg/ha da fórmula 10-24-28
QF (kg/ha) = (50 / 7) x 100 = 715 kg/ha da fórmula 07-17-20 e assim por diante
Muitas vezes não conseguimos achar, no mercado, formulações com NPK igual ao que calculamos. Nestes casos, tenha em mente que é dada uma tolerância de ±10% . Além disto não podem ser comercializados fertilizantes sólidos NPK cuja soma dos três nutrientes é menor que 21. Para as misturas sólidas NP, PK, NK o mínimo é 18%.
Fórmula 04-10-06 soma = 20 (não pode ser comercializada)
Fórmula 00-08-08 soma = 16 (não pode ser comercializada)

As necessidades de N, P2O5 e K2O para o nosso solo, usado como exemplo, são 100-30-130. Relação 3,3 – 1 – 4,3 (divisão por 30).
x 6 = 19,2 – 06 – 25,8 ou 20 – 06 – 26
x 5 = 16,5 – 05 – 21,5 ou 16 – 05 – 22
Quantidade por hectare
QF (kg/ha) = (30 / 6) x 100 = 500 kg/ha de 20-06-26
QF (k/ha) = (30 / 5) x 100 = 600 kg/ha de 16-05-22
Não esqueçam da fórmula para encontrar as quantidades de adubo por hectare.
Espero ter atingido os objetivos de explanar de maneira fácil os conhecimentos nos 3 capítulos da "Interpretação de Análises de Solos". É só praticar. Qualquer dúvida, comentem ou peçam auxílio.

12 comentários:

  1. achei otima toda a explicação, por acaso o senhor não tem estas tabelas, para o plntio de soja e milho pra o estado de goiás?? e para solos do cerrado, muito obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de saber qual tabela devo usar no caso da CULTURA DO MORANGO em MINAS GERAIS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriano,

      A tabela que você deve usar é aquela específica para a sua região e disponibilizada pelos órgãos de pesquisa de seu Estado, que através de pesquisas chegaram aos valores de NPK necessários para a cultura do morango. Procure esta tabela para morango, e existe para outras culturas, na Epamig ou nos escritórios municipais de extensão rural.

      Excluir
    2. Um pouco atrasado para responder mas em MG utilizamos o livro: RECOMENDAÇÕES PARA O USO DE CORRETIVOS E FERTILIZANTES
      EM MINAS GERAIS - 5a APROXIMAÇÃO.
      Grande abraço!

      Excluir
  3. Gostaria de saber se essas tabelas atendem todo tipo de cultura, ou melhor, se dentro de um estado, que tem vários tipos de solos e climas diferentes, as recomendações vão atender as necessidades das culturas. E também se atendem as necessidades de cultivares diferentes dentro de uma mesma cultura. Desde já,agradeço.
    Fabricio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As tabelas são próprias de cada Estado, pois foram elaboradas em face os resultados de pesquisa no campo e as calibrações. A tabela recomenda necessidade de nutrientes para cada cultura e seus cultivares. Não existe, pelo que conheço, recomendação específica para cada cultivar. Com cultivares com potencial de produção mais elevado, o produtor pode aumentar a adubação e ir testando as quantidades e a produção obtida e analisar o custo dispendido no aumento de fertilizante e o que foi conseguindo com o aumento da produção para ver se obteve lucro. Existem tabelas para diferentes teores de argila do solo e fósforo, recomendando a quantidade de nutrientes NPK.
      Leia o artigo abaixo

      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2012/07/recomendacao-de-adubacao-pk-pela.html

      Excluir
  4. Olá professor Gastão, em primeiro lugar gostaria de agradece-lo por disponibilizar um material tão completo e ao mesmo tempo simplificado, eu realmente relembrei muitas coisas da época de estudante. Tenho uma dúvida a repeito dos cálculos para adubação devido o seguinte fato tenho uma série de analises de solos para interpretar, mas em nenhuma delas se estabelece a cultura que o produtor deseja implantar dessa forma gostaria de saber se ha possibilidade de estimar a quantidade de adubo sem saber ao certo a exigência da cultura a ser introduzida ou não isso não é viavél tendo em vista que cada cultura tem sua necessidade especifica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada cultura tem as recomendações de nutrientes NPK que deverão ser aplicados. Recomendo obter uma tabela de recomendação de calagem e adubação para as culturas de sua região. Isso você pode obter na Embrapa, Emater, laboratórios de solos, serviços de assistência técnica.

      Excluir
  5. Obrigado professor. Relembrei coisas que havia esquecido. Vou aplicar na cultura do cacau.

    ResponderExcluir
  6. OLÁ BOM DIA!
    TENHO UMA ANALISE DE SOLO PARA A CULTURA DO QUIABO. NELA O TEOR DE FÓSFORO É 8 mg/dm³ E DE POTÁSSIO 0,4mmolc/dm³. Gostaria de saber se posso usar a formula comercial que tenho 5-25-15 que está próxima que eles recomendam na análise 2200 kg/ha da formula comercial 02-16-08 e 2000kg/ha da formulação calculada como ideal 02-18-09. Neste caso como devo proceder?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não está próxima não.
      Relação dos nutrientes na fórmula 5-25-15 = 1:5:3
      02-16-08 = 1:8:4
      02-18-09 = 1:9:4,5
      as fórmulas que dariam seriam
      03-24-12, 03-27-14, 04-32-16 que seriam as fórmulas similares.
      Leia:
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2009/04/encontrando-formulas-similares-de.html

      Excluir
  7. Obrigado! Fico muito agradecido pela sua ajuda!
    Em breve enviarei mais dúvidas!

    ResponderExcluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.