sábado, 25 de abril de 2009

Interpretação da Análise do Solo - Parte 2 - Calagem

A análise do solo é o principal item para quem quer obter alta produtividade em suas lavouras. Somente corrigindo a acidez e repondo os nutrientes, além de outras práticas agrícolas, como o uso de sementes certificadas, combate às pragas e doenças, cuidados na colheita, etc... é que poderemos alcançar boas produções nas lavouras. É claro, se o clima ajudar.
Na 1ª parte do assunto “interpretação de análise do solo” comentamos como interpretar a análise aliada às recomendações de calagem e fertilizantes.
Interpretação da análise do solo - Parte 1

Vamos abordar nesta postagem a calagem. Esta prática da calagem é importante para “matar” a acidez do solo. Quem vai nos dizer a quantidade que devemos usar é a análise do solo.

1° PASSO
Teremos que ter em mãos os seguintes índices encontrados ou não no resultado da análise do solo: V%, T, m%, teores de Ca, Mg e K, teor de Al e (H+Al), valor S (soma de bases), teor de argila do solo e PRNT do calcário. Se a análise não apresentar todos eles, teremos que calculá-los.
Seja uma análise de solo que apresenta os seguintes resultados:
pH em água – 4,4; pH em CaCl2 – 4,0
P (Mehlich) – 1 mg/dm³ ; P (resina) = 6 mg/dm³
K = 25 mg/dm³ ; Ca = 0,8 cmolc/dm³; Mg = 0,2 cmolc/dm³
Al = 1,6 cmolc/dm³ ; (H+Al) = 5,2 cmolc/dm³

Cálculo da soma de bases (S ou SB)

S = Ca + Mg + K + (Na)
ADVERTÊNCIA: a soma de bases é expressa em cmolc/dm³ ou mmolc/dm³. Na análise acima, o Ca e Mg estão expressos em cmolc/dm³. O K está expresso em mg/dm³. Para calcular Soma de bases (S ou SB), os elementos devem estar expressos da mesma forma, ou seja, em cmolc/dm³.
Portanto, é preciso transformar os 25 mg/dm³ de K em cmolc/dm³.
A expressão mg/dm³ é o mesmo ppm (unidade antiga) que significa “partes por milhão” = 1.000.000 g de solo.
Então, 25 mg/dm³ de K ------------------- 1.000.000 g de solo
......................X ----------------------------- 100 g

X= g K = 100 x 25 / 1.000.000 = 0,0025 g de K


Pode-se usar a tabela II para achar este resultado, bastando multiplicar os 25 mg/dm³ de K por 0,0001 = 0,0025
Agora devemos transformar 0,0025 g de K em cmolc/dm³
A fórmula a ser usada é:

Cmolc K = Massa atômica em g/Valência/1.000

A valência do K = 1
Logo,
1 cmolc K = 39 / 1 / 1.000 = 0,039 g/dm³ K
1 cmolc K -----------0,039 g K
.......Y ---------------- 0,0025 g K
Y = 0,0025 x 1 / 0,039 = 0,06 cmolc/dm³ de K
Portanto, 25 mg/dm³ K = 0,06 cmolc/dm³ de K

Sobre conversões de nutrientes da análise do solo, leia mais:
Tabela de conversão de unidades da análise do solo
Interpretação da análise do solo - cmolc e mg/dm³
Converter cmolc/dm³ de K, Ca, Mg e Na em mg/dm³
Converter dag/kg em g/kg e vice-versa

Soma de bases (S)
S= K + Ca + Mg + Na
S = 0,8+0,2+0,06
S = 1,06 cmolc/dm³

CTC efetiva (t)
t = S + Al 
t = 1,06 + 1,6
t = 2,66 cmolc/dm³

Porcentagem de saturação por Al (m%)
m (%) = 100 x Al / t
m (%) = 100 x 1,6 / 2,66;
m = 60,15%

CTC a pH 7,0 (T)
T = S + (H+Al) T 
T = 1,06 + 5,2;
T = 6,26 cmolc/dm³

Porcentagem de Saturação por Bases da CTC a pH 7,0 (V%)
V (%)= 100 x S /T
V (%) = 100 x 1,06 / 6,26
V = 16,93% (solo de muito baixa fertilidade)

Porcentagem de Saturação por Ácidos da CTC a pH 7,0 M%)
M(%) = 100 - V
M (%) = 100 - 16,93 
M = 83,07 %

2° PASSO
De posse dos dados do passo anterior estamos aptos a calcular a necessidade de calcário específica para cada estado conforme as fórmulas que apresentamos a seguir. Convém chamar a atenção que a fórmula para cálculo da necessidade de calagem pelo método V% é diferente quando o valor "T" está expresso em cmolc/dm³ ou em mmolc/dm³.
No caso de T expresso em cmolc/dm³, a fórmula é a seguinte:
NC (t/ha) = (V2-V1) x T / 100
No caso do valor "T" expresso em mmolc/dm³, a fórmula é a seguinte:
NC (t/ha) = (V2-V1) x T / 10 x 100
No cálculo da necessidade de calagem é importante a atenção no uso correto da fórmula no que diz respeito aos valores expressos da Capacidade de Troca de Cátions a pH 7.0 (CTC a pH7.0) ou valor "T".
Recomendo ler: 
Valor CTC mal aplicado superestima a necessidade de calagem

No Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a Comissão de Química e Fertilidade do Solo publicou uma tabela para recomendação de calcário e adubação para diversas culturas destes Estados. A calagem é baseada no índice tampão SMP.

No Paraná e Mato Grosso, a necessidade de calagem baseia-se no valor da porcentagem de saturação por bases (V%). A recomendação é aplicada em solos que apresentam V% menor que 50% procurando atingir 60%. A fórmula a ser aplicada é a seguinte (baseada nos valores em cmolc/dm³ da análise acima):

NC (t/ha) = (
V2-V1) x T x f / 100
NC significa necessidade de calcário em t/ha;
T = capacidade de troca de cátions.
V2 = 60% (valor que buscamos)
V1 = valor V na análise. Pode ser calculada, também, V = 100 x S/T
f = 100/PRNT (foi incluído o fator "f" para calcular diretamente a correção do PRNT)
Pelos dados que já calculamos teríamos:
NC (t/ha) = (60 – 16,93) x 6,26 x 1,25 /100
NC = 3,37 t/ha
Calcário com 80% de PRNT, logo f = 100/80 = 1,25

No Mato Grosso do Sul é recomendada a calagem quando a porcentagem de saturação por Al (m%) for maior que 10%. No nosso exemplo m= 60,15%

NC (t/ha)= Al x 2 x f

NC (t/ha) = 1,6 x 2 x 1,25 = 4 t/ha

Em São Paulo aplica-se calcário para elevar o valor V a 70%. A fórmula de cálculo é a mesma usada no Paraná.

NC (t/ha)= (
V2-V1) x T x f / 100

Onde V2 será 70 e V1 o encontrado no resultado da análise.
NC (t/ha) = (70 – 16,93) x 6,26 x 1,25 / 100 = 4,15 t/ha
O teor de Mg deve ser elevado a um valor mínimo de 5. Daí a escolha de um calcário magnesiano ou dolomítico.

Nos Estados de Goiás, Minas Gerais, Bahia e Mato Grosso, a calagem é recomendada em função do teor de argila.
Para solos argilosos (mais de 20% de argila) a fórmula é:

NC (t/ha) = [(Al x 2) + 2 – (Ca + Mg)] x f


NC (t/ha) = [1,6 x 2) + 2 – (0,8+0,2)] x 1,25
NC = 5,25 t/ha

Em solos arenosos, em que o teor de argila é menor que 20%, usam-se duas fórmulas de cálculo e escolhe-se a que apresentar maior quantidade.

NC (t/ha) = (Al x 2) x f  
       (1)
NC (t/ha) = [2- (Ca + Mg)] x f      (2)

NC = (1,6 x 2) x 1,25       (1)
NC = 4 t/ha
NC (t/ha) = [2-(0,8+0,2)] x 1,25     (2)
NC = 1,25 t/ha Escolhe-se a maior quantidade: 4 t/ha.

Leia a Parte 3:
Interpretação da análise do solo - Parte 3

ATUALIZAÇÃO
Recomendo ler, também, os artigos da "Série Interpretação da  Análise do Solo" onde os conceitos da análise do solo são abordados individualmente.

O pH do solo na análise do solo - Interpretação da análise do solo (1)
Argila e matéria orgânica na análise do solo - Interpretação da análise do solo (2)
Cátions trocáveis e as CTC's na análise do solo - Interpretaçao da análise do solo (3)
Cátions ácidos e saturação por alumínio na análise do solo - Interpretação da análise do solo (4)
Percentagem de saturação por bases (V%) na análise do solo - Interpretação da análise do solo (5)
Necessidade de calagem pela análise do solo - Interpretação da análise do solo (6)
Percentagem de saturação dos cátions básicos na análise do solo - Interpretação da análise do solo (7)
Relação Ca:Mg na análise do solo - Interpretação da análise do solo (8)
Escolha do calcário para saturar Ca e Mg pela análise do solo - Interpretação da análise do solo (9)
Recomendação de adubação PK pela análise do solo - Interpretação da análise do solo (10)

44 comentários:

  1. legalll! bem informativo

    ResponderExcluir
  2. qual e a formula para transformar PH em agua para PH em resina

    ResponderExcluir
  3. Prezado Charles,
    Não existe uma fórmula para transformar pH em água em pH em resina. O pH em água é determinado por potenciômetro na solução solo-água. O pH pode ser avaliado também em solução de cloreto de cálcio. No RS+SC, utilizam o método SMP que consiste em agira uma amostra de solo com uma solução tamponada SMP.

    ResponderExcluir
  4. Qual a fórmula mais recomendada pra determinar a necessidade de calagem no tocantins?

    ResponderExcluir
  5. Qual a fórmula mais apropriada pra determinar a necessidade de calagem no Tocantins?

    ResponderExcluir
  6. Glaucia,
    A fórmula a ser empregada é aquela recomendada para o Estado de Goiás. Baseado no teor de argila você utiliza a fórmula apropriada.

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de saber a partir de que nivel o sódio precisa ser corrigido
    Tenho duas analises, com valores 8 e 45mg/dm³ de sódio, precisa ser corrigido? que quantidade devo aplicar? e como caqlcular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a fórmula para necessidade de gesso é a seguinte:
      NG=[(PSTi-PSTf)*CTC*86*h*DS]/100
      NG= necessidade de gesso
      PST(%)= porcentagem de saturação por sódio
      PSTi=PST inicial
      PSTf= PST final ou desejada
      CTC= capacidade de troca catiônica
      86=peso molecular do gesso
      h= profundidade desejada para correção
      DS= densidade do solo
      PST=(Na/CTC)*100
      CTC=capacidade de troca catiônica do solo
      OBS= o PSTf desejada deve ser em torno de 10%, ou seja se vc tem um PST inferior a isso acredito que não tenha necessidade de fazer tal prática agrícola.

      Excluir
    2. Esta fórmula destina-se ao cálculo da necessidade de gesso para corrigir solos sódicos.

      Excluir
  8. Caro Gastão,
    Tenho duas analises de solos com valores de sódio, 8 mg/dm³ e 45mg/dm³ respectivamente, gostaria de saber qual o nivel de sódio tolerado pelas plantas, que neste caso será plantado mamona e girassol, e como corrigi-los?

    ResponderExcluir
  9. Prezado Marcos
    Desculpe a demora da resposta, pois estava em viagem.
    8 mg/dm³ x 0,0043478 = 0,03 cmolc Na/dm³
    45 x 0,0043478 = 0,195 cmolc Na/dm³
    A amostra com 45 mg/dm³ me parece que está com maiores teores de Na no solo. Você tem as indicações de teores médio de Na para o seu Estado? Compare e veja se esta análise está acima da média. O solo referente a esta análise (45 mg/dm³) foi irrigado anteriormente? Caso positivo convém verificar a análise desta água.
    A maneira de diminuir a sodicidade é drenagem e utilização de gesso agrícola. Nos solos sódicos, o cálcio do gesso substitui o Na, no complexo de troca, formando o sulfato de sódio que é lixiviado. O sódio é muito móvel no solo enquanto o cálcio é mais fortemente retido pelo solo.
    A mamona não tolera solos sódicos bem como o girassol tem tolerancia relativa. Estou anexando uns links para você ler sobre o assunto. Quanto ao cálculo da dose de gesso agrícola, você encontra nos artigos sobre gessagem.
    http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2009/08/necessidade-de-gessagem-parte-i.html

    http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2009/08/necessidade-de-gessagem-parte-ii.html

    http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2010/11/cuidados-no-uso-da-agua-para-irrigacao.html

    http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2010/11/agua-de-irrigacao-quanto-salinidade-e.html

    ResponderExcluir
  10. Caro Gastão,

    Obrigado Pela resposta, eventuais duvidas deverei pedir ajuda novamente. Meus sinceros agradecimentos.

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Gastao,

    Na minha análise de solo deu S=4,92cmolc/dm3; T=10 cmolc/dm3; V%=49,2%.

    Vou plantar seringueira que precisa de um nível de V%=50%. Pelos meus cálculos irei ter q jogar 1,25t/ha de calcario.

    Correto?

    Obrigado.
    Daniel S. Lozano

    ResponderExcluir
  12. Boa noite, Daniel Lozano

    A quantidade vai ser muito pequena. Não sei o cálculo que você fez para achar, 1,25 t/ha.
    O cálculo correto é: Para elevar o V = 50%
    NC (t/ha) = (50 - 49,2) x 10 / 100
    NC = (t/ha) = 0,8 x 10 /100
    NC (t/ha) = 8 / 100
    NC (t/ha) = 0,08 t/ha = 80 kg/ha
    Isto para um calcário com PRNT de 100%. Se o calcário apresentar PRNT menor, deve-se fazer a correção da quantidade.
    fator de correção (f) = 100/PRNT do calcário usado
    Se ele tiver 80% de PRNT
    f= 100/80
    f = 1,25
    logo: 80 kg/ha x 1,25 = 100 kg/ha de calcário
    A não ser que você calculou para elevar o V = 60% e fez correção para um calcario
    com 80% de PRNT
    Um abraço
    gastão

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Gastão.
    sou estudante de agronomia, e gostaria de saber, onde eu poderia achar alguma analises de solo, para eu poder calcular as necessidades de calcario, apenas para aprendizado

    ResponderExcluir
  14. Roberto,
    Você pode conseguir através de alguém que fez análise do solo, ou na sua faculdade se existe um laboratório de análise de solos. Se não for possível, estabeleça um resultado de uma análise de solo com dados hipotéticos criando um resultado fictício de análise do solo. Trocando os teores dos nutrientes você pode elaborar, hipoteticamente, várias análises e começar a trabalhar. É só para você treinar.

    ResponderExcluir
  15. Bom dia
    Estou em Portugal e tenho um pequeno terreno com um pH de 4,0 e que gostaria de corrigir para um pH de 6,0. Que quantidade de Calcário devo adicionar e a melhor maneira.
    Agradecido e feliz natal.

    Helder Costa

    ResponderExcluir
  16. Bom dia Gastão,
    Para adubação química de manutenção, em que eu devo aplicar metade do N, após quantos dias posso aplicar o restante? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Gizelle.
      Me informe qual a cultura que você utilizará a adubação em cobertura. Aguardo

      Excluir
    2. Gizelle, aplique a adubação de cobertura 30 dias após a emergência das plantas, de preferência na época de chuva.

      Excluir
  17. Olá professor. Tenho uma dúvida: Estou analisando algumas amostras do estado de Minas Gerais, mas não está explícito a porcentagem de argila. Onde eu visualizo a argila na análise de solo? Tem algum símbolo específico? Muito obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gilson, deve estar no laudo, ou em laudo separado, ou não fizeram esta análise, o que acho difícil. Em todo caso, contatar o laboratório que analisou estas amostras. Existem recomendações baseadas no teor de argila, portanto este item é fundamental.

      Excluir
  18. Olá Professor. Gostaria de saber as recomendações de N,P,K para cultura de café em Minas gerais. Teria como me disponibilizar? Se tiveres uma tabela e puderes me mandar, ficarei muito grato. Obrigado. gilsonsilveriosantos@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No link abaixo,
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2012/06/cations-trocaveis-e-ctcs-na-analise-do.html
      no fim do post, em REFERÊNCIAS, vc encontrará na primeira citação "Recomendação de corretivos e fertilizantes para Minas Gerais, 5a. aproximação,um link para acessar esta recomendação

      Excluir
  19. Boa tarde, adorei seu post, no entanto estou meio confuso se cheguei ao calculo correto, estou no estado de goias a minha analise de solo deu a seguinte: S: 6,10 cmolc/dm3, T 9,80 cmolc/dm3, e V: 62,26%, a cultura seria guariroba! qual o valor correto de calcario por ha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fausto,
      Vc tem que saber qual o valor V2 estimado para esta cultura no seu Estado, informado pelos órgãos de pesquisa. Se for V2 = 60%, não há necessidade de calagem pois o cálculo ficará negativo. Acima de 70% vc usa a fórmula indicada para o cálculo de calagem pelo método de saturação por bases onde V1 é o da sua análise e V2 é recomendado pela pesquisa para esta cultura.

      Excluir
    2. Fausto, vc é do Estado de Goiás. Em Goiás usam o cálculo da calagem pelo método de neutralização do alumínio mais suprimento de cálcio e magnésio. Então, vc precisa dos teores de Al, Ca e Mg para calcular conforme explicado no post.
      Vale se informar se usam, também, o método do V%.

      Excluir
  20. Boa noite Prof Gastão,

    Muito bom o seu post, está de parabéns. Gostaria de perguntar qual a fórmula para necessidade de calagem que se usa no Mato Grosso? E aonde posso achar as tabelas de recomendação de nutrientes para esse estado de acordo com a cultura?
    Obrigado pela atenção.

    Att,

    Neto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mesmo cálculo que foi abordado na publicação para os Estados de Goiás, Minas Gerais e Bahia. Ou seja, neutralização do Al³ mais suprimento de Ca+Mg.
      Pode ser utilizado, também, o método saturação por bases (V%).
      Quanto às tabelas você poderá encontrar na EMPAER de sua cidade.

      Excluir
  21. Prezado Prof. Gastão

    Gostaria de saber a origem dos termos valor "m" e valor "v", ou seja, quais as suas origens ou exatamente porque a letra m e porque a letra v? Desde já o agradeço pela resposta.

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde Prof. Gastão,

    Na interpretação da analise de solo, se eu tenho um valor V2 menor que o valor V1 dispensa-se a calagem?

    att.
    Adriano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como faço nesta situação NC=(60-76.86).7,78/100 ? porque da negativo o resultado !

      A minha análise de Solo mostra que o meu v(%)= 76.86 esta análise esta correta ?

      Excluir
    2. Neste caso, o solo não precisa de calagem. Você está buscando elevar a saturação de bases para 60% num solo que tem 76,66 de saturação por bases. Se a cultura exigisse um V=80%, ai vc necessitaria de calagem.
      Quanto ao resultado se está certo, somente vc poderá dizer se a amostra de terra foi bem coletada e se ela representa a média geral da lavoura. A análise feita nos laboratórios reflete a amostra que foi enviada. Se a coleta foi errada, o resultado não será real.

      Excluir
  23. Gastão boa noite sou aluno do curso de Técnico em Agropecuária e queria saber quais são os passos de acordo com a analise de solo, como faço para recomendar uma adubação N,P,k ? como e quais são os primeiros passos a serem tomado ?

    Desde já o meu muito Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tenho vários artigos publicados sobre isso. Entre na página http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br
      Na coluna da direita, no final, tem "assuntos de interesse geral", clique em analise do solo interpretacao e abrirá uma nova janela com todos os artigos relacionados ao tema de como interpretar uma análise de solo. Entre mais de cinquenta artigos tem uma série de 10 artigos sobre interpretação, mais recentes, que mostram cada passo. Sucesso!

      Excluir
  24. Quantos kg de Sulfato de Amônio (20% N), Superfosfato Triplo (45% P2O5) e Cloreto de Potássio (60% K2O) existem em 1 tonelada da fórmula (06-09-12)?

    ResponderExcluir
  25. As matérias primas vão constituir as formulações de fertilizantes, de acordo com as quantidades utilizadas. A sua fórmula é fácil de calcular porque só tem uma matéria prima seja nitrogenada, fosfatada ou potássica.Leia o artigo no link abaixo e vc mesmo poderá calcular estas quantidades.
    http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2009/05/calculando-as-materias-primas-numa.html

    ResponderExcluir
  26. Qual a fórmula recomendada para o Estado de Alagoas e região?

    ResponderExcluir
  27. Você deve obter o manual de recomendação de calagem e adubação para o Estado de Alagoas, em qualquer órgão de pesquisa ou serviço de assistência técnica. cada cultura tem uma exigência em quantidade de nutrientes.

    ResponderExcluir
  28. Professor, sou fã numero de seu blog, tem me ajudado bastante...tenho uma duvida, quando devo utilizar o Calculo para calagem em SATURAÇÃO DE BASES (v%), e quando utilizar pelos teores de Ca Al e Mg trocáveis?? trabalho no Mato Grosso-Cerrado e estou com essa duvida

    ResponderExcluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.