quinta-feira, 14 de julho de 2011

Curvas de Calibração dos Nutrientes do Solo

A fertilidade do solo é diagnosticada pelo enquadramento dos resultados, obtidos com as análises de solo, em faixas com valores conforme o rendimento alcançado pela resposta dos cultivos à aplicação dos nutrientes. Estas faixas são estabelecidas com base nos resultados de pesquisa a campo, em vários tipos de solos, que são realizadas durante muitos anos. A relação entre o teor do nutriente no solo e o rendimento das culturas é o que chamamos de "calibração de um método de análise". A partir destas curvas de calibração são definidos os teores críticos. Acima dos teores críticos, a probabilidade de respota das plantas à aplicação de fertilizantes é
pequena ou zero. Abaixo dos níveis de teores críticos, a chance de resposta das plantas à fertilização é muito grande. As faixas compreendidas nas curvas de calibração podem ser estabelecidas em número de cinco (em alguns Estados são três a quatro): muito baixo, baixo, médio, alto, muito alto. As três primeiras compreendem valores entre zero e o teor crítico, divididas em intervalos uniformes. As duas últimas faixas (alto e muito alto) são valores acima do teor crítico. O teor crítico vem a ser o limite inferior da faixa "alto", onde, normalmente, são obtidos rendimentos próximos à "Máxima Eficiência Econômica" das lavouras. Aqui, os rendimentos estão perto de 90% do rendimento relativo máximo. As faixas inferiores possuem rendimentos menores: faixa muito baixo, 40%; faixa baixo, 40 a 75%; faixa médio, 75 a 90% do rendimento máximo. Isto indica uma grande probabilidade de resposta das culturas à aplicação de um fertilizante. A faixa "Alto" é, praticamente, duas vezes o teor crítico. A recomendação de fertilizantes procura atingir a faixa "alto" e permanecer nela. Isto corresponde à adubação de manutenção que busca repor os nutrientes exportados pelos grãos, frutos, etc, mais uma quantidade equivalente às perdas que se verificam no sistema de cultivo.
A recomendação de adubação procura elevar o teor dos nutrientes do solo a valores adequados para as culturas, para que delas possam se obtidos rendimentos consideráveis. Os tipos de adubação podem ser: correção, manutenção e reposição.
A correção de fósforo (fosfatagem) e de potássio deve ser feita quando os nutrientes, no resultado da análise do solo, se enquadram nas faixas "muito baixo, baixo e médio". Nas faixas "alto e muito alto" deve ser feita a adubação de manutenção, que é a soma dos nutrientes retirados pelas culturas mais eventuais perdas verificadas no sistema de cultivo. Na faixa "muito alto" é feita a adubação de reposição com a finalidade de repor os nutrientes exportados pelas culturas.
OUTROS ASSUNTOS PARA LER

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.