quinta-feira, 21 de março de 2013

Calagem - Cálculo em Função dos Fatores Solo/Planta


Cada estado brasileiro tem a sua maneira de recomendar a fórmula para calcular a quantidade de calcário necessária para elevar o pH do solo e neutralizar o alumínio (Al³+) tóxico. Além disso, preconizam um suprimento de cálcio e magnésio (Ca² + Mg²) no intuito de elevar os níveis desses nutrientes no solo. Outro método para calcular a calagem seria baseado na percentagem de saturação por bases (V%).
De qualquer maneira, a calagem é imprescindível para neutralizar a acidez do solo, aumentando a fertilidade do solo pela disponibilidade dos nutrientes
colocados à disposição de absorção pelas plantas.
Em Minas Gerais, a Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais - CFSEMG - recomenda, no cálculo da calagem, a seguinte fórmula:

NC (t/ha) = Y . [(Al³ - (m. t/100)] + [X - (Ca² + Mg²)]

Onde:
NC = necessidade de calagem em t/ha;

Y = representa o fator solo, ou seja, seu poder tampão em função da textura;
      1,0 - para solos arenosos - menos de 15% de argila;
      2,0 - solos de textura média - entre 16 a 35% de argila;
      3,0 - solos argilosos - entre 36 a 60% de argila;
      4,0 - solos muito argilosos - mais de 60% de argila.

X = representa o fator planta em relação às exigências de Ca e Mg, variando de 1,0 a 3,5 conforme Quadro 1;

mt = percentagem de saturação por alumínio (Al³+) tolerada pela cultura, expressa em % (ver Quadro 1);

t = CTC efetiva encontrada na análise do solo, expressa em cmolc/dm³;

Al³ = teor de Al³ encontrado na análise do solo, expresso em cmolc/dm³

Ca² + Mg² = soma dos teores de cálcio e magnésio conforme resultado da análise e expressos em cmolc/dm³.

Antes , gostaria de relembrar o que aprendemos no 1º grau sobre expressões numéricas com sinais, ou seja, parênteses ( ), colchetes [ ] e chaves { }. Existe uma ordem para ir eliminando-os: primeiro os parênteses, depois os colchetes e, finalmente, as chaves. A não observância dessa ordem causa erros no cálculo final da expressão.
Vamos elaborar um exercício para o emprego da fórmula acima, recomendada pela CFSEMG.
Primeiro, uma análise de solo cujos resultados aparecem no Quadro 2.


Precisamos conhecer a CTC efetiva desse solo ou valor "t" expresso em cmolc/dm³
t = K + Ca + Mg + Al
t = 0,05 + 0,5 + 0,12 + 1,3
t = 1,97 cmolc/dm³
A CTC efetiva é baixa e favorece as perdas de nutrientes por lixiviação, apesar do solo conter 60% de argila. É uma argila de baixa atividade. A calagem, nesse solo, torna-se necessária para elevar o pH e reduzir as perdas por lixiviação.

A percentagem de saturação por alumínio será:
m (%) = (100 x teor de Al³) / t
m (%) = (100 x 1,3) / 1,97
m = 66%
Portanto, nesse solo, 66% dos pontos de troca estão ocupados pelo Al³. Nessas condições, haverá ocorrência de série limitações ao desenvolvimento das plantas.

No Quadro 1, adaptado, encontramos os valores de mt, X e V2 para calcular a necessidade de calagem (NC) no estado de Minas Gerais.


Vamos calcular a calagem para uma lavoura de milho, baseada nos dados da análise de solo (Quadro 2):

NC (t/ha) = Y . [(Al³ - (mt . t/100)] + [X - (Ca² + Mg²)]
NC (t/ha) = 3 x [1,3 - (15 x 1,97/100)] + [2,0 - (0,5 + 0,12)]
Eliminando os parênteses ( ):
NC (t/ha) = 3 x [1,3 - (15 x 0,0197)] + [2,0 - (0,62)]
NC (t/ha) = 3 x [1,3 - 0,29] + [2,0 - 0,62]
Eliminando os colchetes [ ]:
NC (t/ha) = 3 x 1,01 + 1,38
NC (t/ha) = 3,03 + 1,38
NC = 4,4 t/ha

LEIA: Quantidade de calcário em função da área, profundidade e PRNT

Em solos de cerrado, Souza et al. (1992) recomendam o seguinte para a cultura da soja:

1. Solos com argila > 20% e (Ca + Mg) menor que 2,0 cmolc/dm³
NC (t/ha) = (Al³ x 2) + [2 - (Ca+Mg)]

2. Solos com argila > 20% e (Ca+Mg) maior que 2,0 cmolc/dm³
NC (t/ha) = Al³ x 2

3. Solos com argila < 20% - o cálculo da necessidade de calagem é feita através de duas fórmulas, sendo utilizado o maior valor calculado entre elas.
NC (t/ha) = Al x 2   (1a. fórmula)
NC (t/ha) = [2 - (Ca+Mg)]  (2a. fórmula)
A maior NC, obtida entre as duas fórmulas, será a recomendação da quantidade de calcário.

Segundo Souza et al. (1992), o cálculo da necessidade de calagem, baseado nos teores de Al, Ca e Mg, eleva a saturação por bases ao redor de 50%, considerado um valor ideal para o cultivo da soja em solos de cerrado.

REFERÊNCIA

UFLA/FAEPE. Interpretação de análise do solo e manejo de adubação. Método baseado na elevação da saturação por bases. Disponível em: <http://pt.scribd.com/doc/83329111/22/Metodo-baseado-na-elevacao-da-saturacao-por-bases> Acesso em: 18 Mar. 2013.


6 comentários:

  1. Boa tarde, gostaria de saber se houve atualizações na literatura, pois Souza et al. (1992) não estaria defasado para leituras de análise de solo? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pela calagem vc eleva a saturação de cátions básicos no solo. Souza et al através de trabalhos científicos chegaram a essa conclusão.
      O certo é que a calagem eleva a saturação. São conclusões científicas. Muitas coisas que conhecemos e que são usadas atualmente, são conclusões de muito tempo atrás, pode ser até dezenas de anos.

      Excluir
  2. SEMPRE TEM UM BABACA QUERENDO TIRAR O BRILHO DA EXPERIÊNCIA SÓLIDA, GASTAO...DESCULPE A PALAVRA...MAS ME DÓI VER ESSES INSOLENTES CRITICAREM O SENHOR...ACHAM QUE TEM UMA FORMAÇAO SÓLIDA COMO NO PASSADO...INDIGNANTE...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo! Trata de um questionamento, e isso sempre moveu a ciência! Por mais que Souza et al ainda seja usado é bem possível que com o decorrer do tempo possamo usufruir de informações mais precisas!

      Excluir
  3. Caro Gastão não seria interessante discorrer sobre os pontos fortes e fracos de cada método utilizado na recomendação de calagem?

    ResponderExcluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.