quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Capacidade Tampão de Fósforo no Cálculo da Adubação de Fosfatagem

Uma correta amostragem é importante para obter resultados de  análise do solo que espelhem a real situação do solo. Amostragens mal feitas dão origem a resultados errôneos e, consequentemente, um plano de adubação mal feito com reflexos na produtividade das culturas. 

Apesar de ser absorvido em menores quantidades em relação ao nitrogênio (N) e ao potássio (K), o fósforo é imprescindível ao desenvolvimento das plantas, principalmente na fase inicial, para formação de um bom desenvolvimento do sistema radicular. Entretanto, nas formulações de fertilizantes ele é o mais expressivo em termos de concentração de nutrientes, como se verifica em fórmulas como 5-30-10, 8-32-16, 4-14-9 e tantas outras. Isto ocorre porque, no solo, o fósforo está sujeito à fixação, à retenção e outros problemas. Chega-se a dizer que do fósforo aplicado no solo, a planta absorve de 15 a 25%.
Os solos brasileiros apresentam, em geral, pobreza de nutrientes essenciais às
plantas e, entre eles, o fósforo. Para alcançar altas produtividades nos cultivos explorados economicamente, o agricultor deve lançar mão da adubação fosfatada, não esquecendo a neutralização da acidez do solo através da utilização da calagem. A neutralização da acidez é importante para estabelecer condições propícias para absorção dos nutrientes pelas plantas. Uma nova condição de fertilidade ocorre neste caso. Na faixa de pH 6-6,5 há um aumento da disponibilidade dos nutrientes para as plantas.
Na interpretação de uma análise do solo são levados em consideração o teor de P no solo e o teor de argila. Os laboratórios de análise do solo utilizam os métodos Mehlich 1 e o resina trocadores de íons com respeito à camada arável, ou seja, 0-20 cm. Nota-se que quanto maior o teor de argila, os níveis críticos ou adequados de P vão diminuindo. Assim, pelo método Mehlich 1, um solo com argila ≤ 15%, o nível crítico será 18 mg/dm³ enquanto num solo com mais de 60% de argila, o nível crítico será de 4 mg/dm³. Isto varia muito em função do tipo de cultura, tempo de cultivo, etc. Observe bem que estamos falando em faixa adequada de P.
Geralmente, as faixas adotadas nas recomendações de adubação fosfatada são muito-baixo, baixo, média, adequada, alta e muito alta. Outros utilizam uma classificação mais enxuta, baixo, média, adequada, alta... e outras variações. Para isto o agrônomo, a assistência técnica, deve se ater às recomendações de adubação para a região da exploração agrícola.
Por outro lado, no método resina trocadora de íons o teor de argila tem menor influência nos níveis críticos, os quais são 15 e 20 mg/dm³ de P resina. 
Os melhores rendimentos das culturas são conseguidos quando o P mg/dm³ encontra-se na faixa adequada. Portanto, o objetivo da fosfatagem é elevar o nível de P do solo para a faixa adequada. A quantidade de adubo fosfatado, num solo com teor de P baixo, vai depender do teor de argila do solo. Ela varia de 60 kg/ha para solos arenosos e de 400 kg/ha para solos argilosos. A quantidade de adubo foi calculada levando em consideração a Capacidade Tampão de Fósforo (CTP). A CTP corresponde à quantidade de fósforo expressa em P2O5 necessária para elevar cada 1 mg/dm³ de P na camada arável.
Souza et al. (2006) apresenta uma fórmula para calcular a quantidade de fertilizante para a fosfatagem baseada na CTP. Existe uma tabela adaptada de Souza et al., a qual pode ser vista em REFERÊNCIAS, na parte final desta publicação. E usando alguns dados desta tabela, podemos mostrar como é calculada a fosfatagem em função da CTP.

Exemplo 1.
teor de argila 66-70%
nível crítico de P: Mehlich 1 = 4 mg/dm³  '.'   Resina = 15 mg/dm³
CTP (kg/ha de P2O5/mg/dm³ P): Mehlich 1 = 70   '.'  Resina = 19
teor de P na análise do solo: Mehlich = 1,8 mg/dm³  .'.  Resina = 7 mg/dm³

Dose P2O5 kg/ha = (teor de P desejado - teor de P da análise ) x CTP

Método Mehlich 1
Dose de P2O5 kg/ha = (4 - 1,8) x 70
Dose de P2O5 kg/ha = 2,2 x 70
Dose de P2O5 kg/ha = 154

Método resina trocadoras de íons
Dose de P2O5 kg/ha = (15 - 7) x 19
Dose de P2O5 kg/ha = 8 x 19
Dose de P2O5 kg/ha = 152

Exemplo 2.
teor de argila 31-35%
nível crítico de P: Mehlich 1 = 14 mg/dm³ '.' Resina = 15 mg/dm³
CTP (kg/ha de P2O5/mg/dm³ P): Mehlich 1 = 11  '.' Resina = 10
teor de P na análise do solo: Mehlich = 4,0 mg/dm³ .'. Resina = 4,0 mg/dm³

Método Mehlich 1
Dose de P2O5 kg/ha = (14 - 4) x 11
Dose de P2O5 kg/ha = 10 x 11
Dose de P2O5 kg/ha = 110

Método resina trocadoras de íons
Dose de P2O5 kg/ha = (15 - 4) x 10
Dose de P2O5 kg/ha = 11 x 10
Dose de P2O5 kg/ha = 110

REFERÊNCIA
SOUZA, D.M.G.de; NUNES, R.S; REIN, A.T.; SANTOS JÚNIOR, J.D.G dos. Manejo da adubação fosfatada para culturas anuais no Cerrado. EMBRAPA, circular técnica 33. 2016. Disponível em <https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/154889/1/CT-33.pdf> Acesso em: 30 julho 2019.

9 comentários:

  1. Ótimo texto, como de costume. Sou leitor assíduo do blog.
    Professor, como se obtém a CTP? Tem que solicitar na análise?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como dito no texto, em REFERÊNCIA existe um link para acessar que abrirá uma publicação da EMBRAPA onde você vai encontrar uma tabela adaptada para isto.

      Excluir
  2. Desculpe, passou batido. Mesmo assim muito obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Professor, a referência indica que essa tabela foi produzida visando solos do cerrado. Ela poderia ser extrapolada para solos de outras regiões do Brasil?

    ResponderExcluir
  4. Não sei se fizeram em outros tipos de solo. Mas, solos argilosos apresentam maior CTF a qual aumenta à medida que aumenta o teor de argila.

    ResponderExcluir
  5. BOA TARDE PROFESSOR. DIFERENÇA ENTRE MELICH, RESINA E REMANESCENTE?

    ResponderExcluir
  6. São extratores de P usado em laboratórios para a análise do solo.
    O P Mehlich e o P resina são dois extratores diferentes. O P resina é usado quando a amostra de solo é proveniente de uma área que se aplicou fosfato natural. É o seu caso?
    O P Mehlich superestima o fósforo disponível em solos adubados com fosfato natural.
    http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2012/03/fosforo-remanescente-nivel-critico.html

    ResponderExcluir
  7. Professor boa noite, tenho uma dúvida, como transformar o valor de P em mg/dm3 obtido na análise para P2O5?

    ex: 8 mg/dm3

    a fórmula a se utilizar seria está?
    8*2*2,29 = 36,64 Kg/P2O5

    assim para poder qunatificar a quantidade de P2O5 no solo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 8*2,29 = 18,32 mg/dm³
      Leia
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com/2011/02/transformar-em-p2o5-recomendacao-em-p.html

      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.