quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Significados de S, CTC, V e m% na Análise do Solo

Quando nos deparamos com o resultado de uma análise de solo, encontramos vários conceitos básicos que nos dão uma idéia da fertilidade do solo, a fim de que possamos adotar uma recomendação de calagem e adubação de acordo com as necessidades deste solo. Hoje, quase todos os resultados de análises do solo já trazem os valores calculados destes conceitos básicos: soma de bases (S), capacidade de troca de cátions efetiva (t) e capacidade de troca de cátions a pH 7,0 (T), percentagem de saturação por bases (V%) e percentagem de saturação por alumínio (m%), e outros. Mas, é importante, para quem está começando a vida profissional ou ainda nos bancos da Universidade e
mesmo os agricultores, saber como se interpretam estes resultados e calculá-los.
Os solos brasileiros são, geralmente, muito ácidos. O pH ácido é um fator limitante para o desenvolvimento das plantas e limitante na produção das lavouras. Em pH ácido, as plantas não encontram a melhor disponibilidade de nutrientes dificultando a absorção dos mesmos. A neutralização da acidez com a aplicação de calcário torna-se urgente e inadiável.
A soma de bases (S).
Ela é calculada pela soma dos cátions básicos: K, Ca, Mg e Na. O sódio (Na) é costume deixá-lo de fora por ser inexpressiva a sua quantidade, em geral, nos solos brasileiros. A soma de bases (S) é expressa em cmolc/dm³ ou mmolc/dm³. Há casos em que, nas análises de solo, o K vem expresso em mg/dm³. Não podemos misturar cátions expressos em cmolc ou mmolc, com mg/dm³. Todos os cátions devem estar expressos na mesma unidade para evitar erros na interpretação. Quando o potássio, no resultado da análise, vem expresso em mg/dm³ é preciso fazer a conversão. Para isto usa-se o coeficiente 0,002525 no caso de expressar em cmolc, ou 0,02525 no caso de expressar em mmolc/dm³. Por exemplo:
25 mg K/dm³ x 0,002525 = 0,06 cmolc K/dm³ ou
25 mg K/dm³ x 0,02525 = 0,6 mmolc K/dm³.
A soma de bases dá uma idéia da quantidade de cátions que o solo possui. Solos pobres apresentam baixa soma de cátions.
Capacidade de Troca de Cátions (CTC) efetiva.
Também conhecida pela letra "t". No cálculo da CTC efetiva entram o valor da soma de bases mais o teor de Al³, ou alumínio trocável. Então,
t = K + Ca + Mg + Na + Al ou t = SB + Al
Deve ser expressa em cmolc ou mmolc/dm³. Solos com pH muito baixo apresentam baixa capacidade de reter cátions. Verifica-se, também, uma grande perda de nutrientes por lixiviação. O solo pode conter alto teor de argilas, o que nos daria a idéia de maior número de cargas negativas, maior número de pontos de troca, mas, muitas vezes, estas argilas são de baixa atividade, como a caulinita e os óxidos e hidróxidos de ferro e alumínio.
Capacidade de Troca de Cátions a pH 7,0
Também conhecida pela letra "T", quando muito baixa é um indício da baixa atividade da argila do solo. A Capacidade de Troca de Cátions a pH 7,0 é calculada em função da soma de bases (S) mais (H+Al). Deve ser expressa, também, em cmolc ou mmolc/dm³.
Percentagem por Saturação de Bases (V)
No cálculo do valor V deve-se levar em conta a soma de bases (S) e a Capacidade de Troca de Cátions a pH 7,0. Portanto, os valores S e T. A fórmula é:
V (%) = (100 x S) / T
O valor V deve ser expresso em porcentagem (%). O valor V nos dá uma idéia da percentagem dos pontos de troca de cátions que estão ocupados por bases. Ou seja, quanto por cento das cargas negativas estão ocupadas por K, Ca, Mg, Na, e passíveis de troca a pH 7,0 quando comparado com os pontos ocupados por (H+Al). Solos com V% muito baixa requerem grandes quantidades de calcário para elevar a saturação de bases. Em regra, solos férteis são aqueles que apresentam saturação por bases (V) maior que 50%. Abaixo deste valor são considerados solos não férteis, de baixa fertilidade. O valor V é muito usado, em alguns Estados brasileiros, para calcular a necessidade de calagem.
Percentagem de Saturação por Alumínio (Al)
Conhecida, também, pela letra "m", leva em consideração o teor de alumínio trocável do solo e a Capacidade de Troca de Cátions Efetiva, ou seja os valores de Al³ e "t". O valor "m" é expresso em %. O valor "m" nos dá uma idéia de quanto dos pontos de troca estão ocupados pelo Al³ ou quanto da CTC efetiva está ocupada pelo alumínio trocável ou acidez trocável. Solos que apresentam valores muito alto de "m%" provocam sérias limitações no desenvolvimento das plantas e na produtividade das lavouras. Alguns recomendam que quando o valor m% é maior que 20, a calagem torna-se necessária, imperiosa. Alguns autores, mais exigentes, usam valor m% maior que 10.
Quanto mais ácido é um solo, maior o teor de Al³ trocável, menor soma de cátions trocáveis, maior saturação de Al.
OUTROS ARTIGOS PARA LER
Acidez do solo, ativa e potencial
Calagem pelo método saturação por bases
Calagem, métodos para determinar a necessidade de calcário

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.