quinta-feira, 26 de abril de 2012

Neutralizar Acidificação do Solo Provocada pelos Adubos Nitrogenados

Os fertilizantes minerais são importantes para melhorar a fertilidade do solo e elevar a produtividade das culturas. A prova disto é que o consumo de fertilizantes minerais vem aumentando de ano para ano. Entretanto seu uso continuado tende a acidificar o solo, principalmente os nitrogenados, com o passar dos anos. Os adubos nitrogenados, como a uréia, o sulfato de amônio e outros, tendem a acidificar o solo pela liberação de H+ no solo.
Alguns pesquisadores aconselham aumentar a dose de calcário recomendada pela análise. Mas, as plantas têm necessidade de nutrientes para completar seu ciclo de vida. Portanto, a fertilização mineral não pode faltar num sistema de produção. O que se deve buscar é aumentar a sua eficiência no solo, minimizar a sua aplicação, valendo-se de práticas agrícolas sustentáveis, como a rotação de culturas, adubação verde, que promovam uma reciclagem de nutrientes no solo. O nitrogênio (N) e o potássio (K) são absorvidos em maiores quantidades.


O calcário (CaCO3) libera 2H+ quando reage no solo. Considerando as massas atômicas, teremos:
CaCO= 40 + 12 + 16x3 = 100
Para cada 100 kg/ha aplicados no solo, há uma liberação de 2H+.
Devemos chamar a atenção do leitor que esta aplicação de calcário, em função da utilização de adubos nitrogenados que acidificam o solo, não substitui a calagem recomendada pela análise do solo. A calagem, segundo a recomendação da análise do solo, visa neutralizar a acidez do solo, proporcionando uma melhora da fertilidade e uma melhor disponibilidade de nutrientes para absorção pelas plantas. Com o tempo, as reações no solo, a utilização de adubos nitrogenados continuamente acidificam o solo. Daí, o emprego de calcário no plantio visando minimizar a liberação de acidez pelos fertilizantes nitrogenados. Na literatura encontramos trabalhos que informam que o uso contínuo de leguminosas pode acidificar o solo.
No Quadro 1. visualizamos alguns adubos nitrogenados, sua fórmula e reação no solo. Cada um possui 2 N. Sendo 14 a massa atômica do N, teremos 28 g de N ou 28 kg N.


O sulfato de amônio, (NH4)2SO4, na sua reação no solo (quadro 1.), libera 4H+. Como cada 100 kg de calcário libera 2 H+, para neutralizar a acidez provocada pelo sulfato de amônio (4 H+), precisaríamos duas vezes mais quantidade do corretivo, ou seja, 200 kg. Considerando um calcário com PRNT igual a 100%. O sulfato de amônio (NH4)2SO4 tem 2 N. Como a massa atômica do N = 14, teremos 2x14 = 28. A relação entre carbonato de cálcio e  sulfato de amônio será:
200 kg CaCO3/28 kg N = 7,14. Assim sendo, quando se aplica sulfato de amônio serão necessários 7,14 kg de calcário com PRNT 100% para cada 1 kg de N recomendado. Se o produtor aplicar 50 kg/ ha N, na forma de sulfato de amônio, ele precisará aplicar 50 x 7,14 = 360 kg/ha de calcário para neutralizar os 4H+.
No caso da uréia, que libera 2 H+, ela tem uma relação de 3,57 (100/28), ou seja, os mesmos 50 kg/ha N precisariam de 180 kg/ha de calcário 100% (50 x 3,57). Porque a uréia libera 2H+ e a quantidade de calcário é de 100 kg para cada 2H+ liberados.
O nitrato de amônio (libera 2H+) apresenta a mesma relação da uréia, ou seja, 3,57 (100/28). A quantidade de calcário será a mesma calculada para uréia.
No caso do DAP (diamônio fosfato), a liberação é de 3H+. Para neutralizar serão necessários 150 kg de calcário, ou seja, liberação de 2H+ = 100 kg, 1H+ = 50 kg de calcário com PRNT 100%. Logo a liberação de 3H+ necessitará de 150 kg de calcário.
Se o calcário possuir PRNT menor que 100%, deve-se fazer a correção da quantidade, ou seja 100/PRNT. Por hipótese uma quantidade de 360 kg/ha de calcário com PRNT 80%, para corrigir 50 kg/ha de N aplicados na forma de sulfato de amônio.
100/80 = 1,25 (este é o fator de correção da quantidade).
360 kg/ha x 1,25 = 450 kg/ha

4 comentários:

  1. Prezado Gastao

    Parabens pelo blog, que tem se tornado uma referencia no meio academico.

    Apos ler o texto acima algumas partes do texto me deixaram um pouco confuso.

    A) em vez de cada 100 kg de calcário libera 2 H+, nao seria cada 100 kg de calcário libera 2 OH-, pois a reação do calcario é basica havendo liberação (produção) de 2 OH- como a seguir:

    CaCO3 + H2O => Ca2+ + OH- + HCO3-
    H+ + OH- => H2O
    H+ + HCO3- => H2O + CO2

    b) Como chego ao valor de 100 kg CaCO3 neutralizar 2 Kg H+?

    c) Os valores das reacoes dos fertilziantes sao em Kg de H+ ou moles de H+?

    Att.

    Rogerio


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja na figura que o 2H foram substituídos pelo Ca.
      CaCO3
      40 + 12 + (16x3) = 100
      Na reação do calcário no solo, o cálcio ocupa o lugar do H+

      Excluir
  2. Um pecuarista aplica anualmente em uma capineira 400 kg/ha de N na forma de sulfato de amônio (20
    % de N). Metade deste N é absorvido na forma de NH4+, restando, portanto, o equivalente a 200 kg de
    N que ficam sujeitos aos processos de transformação que geram acidez no solo. Qual deve ser a dose
    anual de calcário para neutralizar a acidez gerada por essa adubação, sendo que se dispõe de um
    calcário com PRNT de 107 %?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O texto explica isto. Leia com atenção e você deve partir do total aplicado. A única diferença é que você está usando um calcário com PRNT 107%. Neste caso achar o índice de correção e multiplicar pela dose de calcário encontrada. No seu caso, o fator de correção é o índice obtido da divisão 100/107.

      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.