quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Extração de P e Argila do Solo na Adubação Fosfatada



Dos três macronutrientes principais, o fósforo (P) é absorvido em menor quantidade em relação ao nitrogênio (N) e ao potássio (K). Os solos brasileiros, em geral, são pobres em nutrientes e ácidos. Nestas condições de acidez, a eficiência da fertilização fosfatada fica prejudicada, pois, do total de fósforo aplicado no solo, a planta aproveita de 15 a 25% deste fósforo. O fósforo é muito importante para a planta no que diz respeito às melhores condições para o desenvolvimento do sistema radicular que cresce rápido e alcança uma superfície e profundidade maiores de solo. A planta responde melhor à produção, com grãos e frutos de maturação precoce e de melhor
qualidade. Portanto, desde a germinação as plantas têm que encontrar fósforo no solo para sua nutrição.
As funções do nutriente fósforo (P) para as plantas
Por que se aplica mais fertilizante fosfatado no solo?

A neutralização da acidez do solo deve ser realizada pela calagem, para criar condições melhores de fertilidade no solo. A eficiência dos fertilizantes é acrescida com a calagem, pois, com o aumento do pH do solo, o alumínio tóxico é neutralizado, minimizando os feitos da fixação do fósforo. Esta prática não pode ser esquecida pelo produtor, nem deixada de lado.
Feita a calagem, o produtor rural deve partir para aumentar os teores de fósforo no solo. Isto é feito pela fosfatagem, quando se emprega quantidades maiores de P para elevar o nível deste nutriente no solo. Esta correção tem uma duração de até três anos, quando nova análise do solo deverá ser feita para avaliar os teores de P. 
Complementando a fosfatagem, a adubação de manutenção vai fornecer o P necessário em todo o ciclo da planta. Esta adubação de manutenção é feita no momento do plantio.
Um método utilizado para o cálculo da adubação corretiva é através do teor de argila do solo.

1) Fósforo disponível - Método P resina
Vitti & Mazza recomendam a aplicação de 5 kg de P2O5 para cada 1% de argila do solo, quando a CTC for menor que 6 cmolc/dm³ ou argila < 30%. O P resina ≤ 15 mg/dm³. Nestas condições, um solo com 24% de argila necessitaria uma aplicação de 120 kg/ha de P2O5 (24 x 5).
A fosfatagem é feita com a aplicação de fertilizantes fosfatados. O mais utilizado é o superfosfato triplo (ST) que possui 42% de P2O5  O superfosfato simples (SS), que possui, 18% de P2O5  é pouco utilizado devido a baixa concentração de fósforo. Isto torna mais cara a unidade de fósforo, além de necessitar maior quantidade, o que aumenta os custos de produção.
A quantidade de superfosfato triplo (ST) seria a seguinte:
Em 100 kg de ST temos ............  42 kg de P2O5
Em X quilos de ST .................... 120 kg de P2O5
X = ( 120 x 100 ) / 42
X = 285 kg/ha de superfosfato triplo

Com relação ao superfosfato simples (SS) o raciocínio é o mesmo, apenas substituindo por 18 kg de P2O5 contidos em cada 100 kg do produto.
Para encontrar o custo da unidade de fósforo, para comparar os dois produtos, o cálculo é o seguinte:
Custo do kg de P2O5 = Preço da tonelada do produto posto na propriedade / teor de P2O5 x 10

Por que se multiplica por 10? Ora, em 100 kg de ST temos 42 kg P2O5  Em 1.000 kg (1 tonelada) teremos 420, ou seja, dez vezes mais.

2) Fósforo disponível - P Mehlich 1


Souza & Lobato recomendam a fosfatagem baseada em duas faixas de P disponível. A faixa "muito baixo" que vai de 1 a 6 mg/dm³ de P e a faixa "baixo" de 6 a 12 mg/dm³ de P. Basicamente, no caso de P muito baixo pode-se multiplicar o teor de argila por 3, mantendo um mínimo de 100 kg/ha de P2O5  No caso de P baixo, multiplicar o teor de argila por 1,5 e mantendo um mínimo de 50 kg/ha de P2O5  Para calcular a quantidade de fertilizante fosfatado adotar o mesmo cálculo feito no item 1.

LEIA TAMBÉM
Argilas e os níveis de CTC no solo
Argila e matéria orgânica na análise do solo

Um comentário:

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.