quarta-feira, 18 de julho de 2012

Escolha do Calcário para Saturar Ca e Mg pela Análise do Solo

INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE DO SOLO (9)


As saturações ideais dos cátions trocáveis estão numa faixa de 60 a 70% para o Ca, de 10 a 20% para o Mg e de 2 a 5% para o K. A quantidade de calcário recomendada pela análise do solo adiciona Ca e Mg. Mas, muitas vezes, as quantidades adicionadas não aumentam a saturação de cátions básicos trocáveis como desejaríamos. Isto se deve ao fato de que existem calcários com várias concentrações de CaO e MgO e,
geralmente, a recomendação é tantos quilos por hectare sem fazer menção ao tipo de calcário que deve ser usado e à relação Ca/Mg. O agricultor recebe a recomendação, por exemplo, de 3 t/ha de calcário para neutralizar a acidez do solo, sem especificar o tipo de corretivo. Não digo que seja geral, mas para chamar a atenção da necessidade de indicar que tipo de calcário, do valor do PRNT e do PN.

Então, o agricultor compra aquele que está mais próximo de sua propriedade para diminuir as despesas com frete. Muitas vezes, a origem é um calcário calcítico rico em CaO e pobre em MgO. Se há necessidade de aumentar Ca e Mg, ele vai ser prejudicado em relação ao magnésio.O contrário também é válido. O agricultor precisa somente elevar a saturação de Ca, mas ele compra um calcário dolomítico que possui mais de 12% de MgO. Aí ele provoca um desequilíbrio na relação Ca:Mg e o excesso de magnésio inibe a absorção de cálcio, bem como o excesso de cálcio inibe a absorção de magnésio.
Vamos supor a amostra nº 2, de nossa série de artigos sobre a interpretação da análise do solo, cuja recomendação de calagem foi de 2,1 t/ha para elevar o V2 a 70%. Para se inteirar disto, acesse o link:

No Quadro 2, para esta amostra 2, estão calculadas as quantidades corrigidas de calcário em função do PRNT do produto, quanto de Ca e Mg possuía o solo, quanto de Ca e Mg foi adicionada pelas diferentes fontes, o total de Ca e Mg advindo do teor no solo mais o teor adicionada, a nova soma de bases (SB), a nova percentagem de saturação por bases (V%), a nova relação Ca/Mg, as novas saturações de Ca e Mg. Quanto ao potássio foi calculado uma saturação de 4% da CTC a pH 7.0 com este cátion. O quadro 2 nos mostra que os diversos calcários utilizados apresentaram diferentes soma de bases, V%, relação Ca:Mg e saturação de Ca e Mg.


Os calcários compreendidos nos itens 3 a 6 elevaram em muito a saturação de Mg, além do ideal de 10 a 20%. A utilização destes calcários provocará um desequilíbrio, pois o excesso de Mg inibe a absorção de Ca. A relação Ca:Mg ficou muita estreita em virtude do alto teor de Mg adicionado ao solo. O agricultor que adquirir estes calcários, nestas concentrações de CaO e MgO, terão este problema.
O calcário do item 1 apresenta uma saturação de cálcio de 61%, dentro do ideal preconizado para o Ca (60 a 70%). O Mg ficou dentro do limite ideal (10 a 20%).
A relação Ca:Mg natural do solo (1,6:1) aumentou consideravelmente nos calcários dos itens 1, 2 e de 7 a 10. Os calcários dolomíticos, com alto teor de Mg aumentaram consideravelmente os teores de Mg em detrimento do Ca.
A percentagem de saturação por cátions, V%, ficou acima dos 70%, ponto de partida (V2) para o cálculo da necessidade de calagem.
Por isto,  é muito importante analisar os diversos calcários e seus respectivos teores de óxidos de Ca e Mg, antes de finalizar uma compra. Se não fizermos isto, corremos o risco de deixar o agricultor adquirir um calcário que poderá provocar desequilíbrio na interação Ca e Mg.
Quando aumentamos as saturações de Ca e Mg, dentro dos parâmetros ideias, ficamos sabendo qunto de Ca e Mg deverão ser adicionados. Descontando o que o solo possui, teremos as quantidades de Ca e Mg que deverão ser adicionadas pelo corretivo. Lendo o artigo "Necessidade de calagem pela análise do solo - Interpretação da análise do solo (6)" ficamos sabendo que pelo método saturação por bases, o cálculo da calagem para um V2 = 70%, a recomendação foi de 2,1 t/ha (PRNT = 100%) na amostra 2. (A soma de bases neste solo é de 1,67 cmolc/dm³).
Vamos buscar adicionar Ca + Mg para obter uma saturação de Ca = 60% e Mg = 18% da CTC a pH 7.0 (T) cujo valor é 5,39 cmolc/dm³

60% de T = (60 x 5,39) / 100 = 3,23 cmolc/dm³ Ca
18% de T = (18 x 5,39) / 100 = 0,97 cmolc/dm³ Mg
Quantidades de Ca e Mg que deverão ser adicionadas:
Ca = 3,23 - 1,03 (no solo) = 2,20 cmolc/dm³ que faltam
Mg = 0,97 - 0,64 (no solo) = 0,33 cmolc/dm³ que faltam

Vamos, em primeiro lugar, achar um índice que nos dará a quantidade de calcário em t/ha baseado no teor de CaO do produto.
A quantidade a ser adicionada de Ca é de 2,20 cmolc/dm³: 2,20/0,01783 = 123. Neste caso, este é o índice que usaremos para encontrar a quantidade de calcário em t/ha.
Por exemplo: se o produtor possui um calcário com 41% de CaO, a quantidade a ser utilizada, em t/ha, será 123/41 = 3 t/ha.

teor de MgO (%) = teor de Mg que falta adicionar / calcário t/ha  x  0,0248
No caso do calcário com 41% de CaO, o teor de MgO que este calcário deveria possuir é:
teor de MgO = 0,33 / (3 t/ha  x  0,0248)
teor de MgO = 0,33 / 0,07
teor de MgO = 4,5%
Portanto, a indicação seria um calcário calcítico com 41% de CaO e 4,5% de MgO

Se o técnico se defronta com um calcário com 38% de CaO, a quantidade será: 123/38 = 3,25 t/ha.
O calcário com 38% de CaO deverá ter um teor de MgO:
teor de MgO = 0,33 / (3,25 t/ha  x  0,0248)
teor de MgO = 0,33 / 0,08
teor de MgO = 4%
Portanto, a indicação seria um calcário com 38% de CaO e 4% de MgO

Com um calcário com 55% de CaO, a quantidade a aplicar será de 123/55 = 2,24 t/ha
teor de MgO = 0,33 / (2,24 t/ha  x  0,0248)
teor de MgO = 0,33 / 0,055
teor de MgO = 6%

O agricultor deve ficar atento aos teores garantidos de CaO e MgO, de PN, RE e PRNT que o vendedor deve informar. A escolha deve recair pelo calcário com o maior valor de PN, mesmo quando dois calcários apresentam o mesmo PRNT. O Ministério de Minas e Energia (2009) no estudo do "Perfil do calcário agrícola" recomenda o tipo de calcário a ser empregado em função do teor de Mg no solo e da relação Ca:Mg existente, como demonstrado no quadro 3.


SÉRIE INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE DO SOLO
O pH na análise do solo - Interpretação da análise do solo (1)
Argila e matéria orgânica na análise do solo - Interpretação da análise do solo (2)
Cátions trocáveis e as CTC's na análise do solo - Interpretaçao da análise do solo (3)
Cátions ácidos e saturação por alumínio na análise do solo - Interpretação da análise do solo (4)
Percentagem de saturação por bases (V%) na análise do solo - Interpretação da análise do solo (5)
Necessidade de calagem pela análise do solo - Interpretação da análise do solo (6)
Percentagem de saturação dos cátions básicos na análise do solo - Interpretação da análise do solo (7)
Relação Ca:Mg na análise do solo - Interpretação da análise do solo (8)

REFERÊNCIAS

BRAGA, G. N. M. . Série Interpretação da Análise do Solo. Artigos de 01 a 08. 2012. NA SALA COM GISMONTI - Assuntos sobre Agronomia. http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA. Perfil do Calcário Agrícola. 2009. 49 p. Disponível em:<http://www.mme.gov.br/sgm/galerias/arquivos/plano_duo_decenal/a_mineracao_brasileira/P29_RT55_Perfil_do_Calcxrio_Agrxcola.pdf> Acesso em: 16 de jul. 2009.

14 comentários:

  1. Fernando Duarte

    Caro Professor,

    Primeiramente agradecer a contribuição que o Blog tem no acréscimo do meu conhecimento técnico.

    Minha dúvida nesse setor seria na fórmula:
    60% de T = (60 x 5,39) / 100 = 3,23 cmolc/dm³ Ca
    18% de T = (18 x 5,39) / 100 = 0,97 cmolc/dm³ Mg

    visto que o T possuí relação com o Ca e com o Mg, esses números (3,23 e 0,97) não estarão subestimados depois da adubação? Em virtude da T aumentar.

    grato

    ResponderExcluir
  2. Olá professor.

    Gostaria de saber como escolho o índice a ser calculado para encontrar o teor de Ca e Mg a ser adicionado ao solo.

    Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o cálculo destes índices está dentro da publicação

      Excluir
  3. Olá professor, fico muito feliz com a qualidade do blog, tenho aprendido muito com suas postagens. Mas, estou com uma dúvida em relação ao teor de Mg no solo. Sabemos que teor de Mg ideal é de 0,5 cmolc/dcm3. Se a análise de solo me der um teor de Mg de 1,4 cmolc/dcm3, por exemplo, devo adicionar mais Mg ao solo com o calcário dolomítico (fazendo esse cálculos onde se mistura dolomítico e o calcítico) ou a NC deve ser toda de calcítico, já que temos os teores de Mg acima do nível ótimo. Para efeito de calculo estou utilizando 4 cmolc/dcm3 de Ca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o solo é bem provido de Mg, deve-se usar um calcário calcítico.

      Excluir
  4. ola professor , se eu pegasse uma análise qualquer de solo e resolvesse aplicar o meu calcário pelo equilibrio de de Mg e Ca ,usando os dois tipos de calcário na mesma área (dolomítico e calcítico ) qual seria a formula de correçaõ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia:
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2009/11/mistura-de-calcarios-para-manter.html

      Excluir
  5. Olá, estou com uma dúvida!
    A quantidade a ser adicionada de Ca é de 2,20 cmolc/dm³: 2,20/0,01783 = 123. Neste caso, este é o índice que usaremos para encontrar a quantidade de calcário em t/ha.
    Por exemplo: se o produtor possui um calcário com 41% de CaO, a quantidade a ser utilizada, em t/ha, será 123/41 = 3 t/ha.
    O valor 0.01783 é um valor fixo para qualquer interpretação de análise de solo ou é uma variavel? E qual a origem deste valor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O valor 0,01783 independe da análise do solo. Ele é em função do Calcário (CaCO3) e do CaO. É uma constante.
      Donde vem?
      A massa atômica do CaCO3 = 100.A do CaO é 56
      1% de CaO significa que em 100 kg de calcário teremos 10 kg de CaO, Numa tonelada teremos 10 kg de CaO.
      em 56 kg CaO temos 40kg Ca Cálculo das massas atômicas)
      em 10 kg CaO teremos X kg de Ca
      X = (10 x 40) / 56
      X = 7,147 kg de Ca ou 7.147 g de Ca
      1cmolc Ca = massa atômica em g /valência /100
      1cmolc Ca = 40/2/100 = 0,200 g Ca
      7.147g/0,200g = 35.735 cmolc Ca
      e em dm³?
      35.735 cmolc Ca em 2.000.000 dm³ (lha e 20cm de profundidade)
      quantos (X) cmolc Ca teremos em cada .... 1 dm³

      X = (1 x 35.735) / 2.000.000
      X = 0,01786
      Eu arredondei os valores das massa atômicas. Fazendo com os valores corretos vc chega ao 0,01783...
      Faça com o MgO.
      Este valor é uma constante para cada 1% de CaO do calcário aplicado em cada tonelada num ha e na camada arável

      Excluir
  6. Boa noite professor, então de acordo com esse calculo, a quantidade de calcario por ha será diferente, como citado no exemplo do outro link, lá na amostra 2 deu 1,6 t por ha, e aqui está dando 3 toneladas, caso o utilize o cao com 41 %. qual dos dois devo usar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estes exemplos servem para verificar qual o calcário que atenderá as necessidades que esperamos. São exemplos para elucidar cada caso. Cabe a você, pois não sei os dados de sua análise, de escolher o melhor calcário para aplicar. Os passos para isto, eu explico através de artigos para que o leitor chegue à conclusão por si mesmo.

      Excluir
  7. Boa tarde professor! tenho na análise de solo 9 mmol/dcm3 de MG e 15 mmol/ dcm3 de Ca, qual calcário devo aplicar

    ResponderExcluir
  8. A relação Ca/Mg = 0,6 há uma maior participação de Mg. Você deve verificar se estes valores de Ca e Mg estão em qual faixa (muito baixo a alta). Considerando os valores que vc forneceu, a escolha deverá recair sobre um calcário calcítico. Se tiver que repor magnésio a escolha será um calcário magnesiano.

    ResponderExcluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.