quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Acidificação do Solo pelos Adubos Nitrogenados

Os solos podem ser originalmente ácidos, pobres em bases trocáveis. Há lixiviação de cátions como o Ca, Mg e K que são substituídos por H+ e Al+ trocável. Na absorção, a raiz troca cátions, presentes na solução do solo, por íons H+ ou OH-. Os adubos amoniacais e a uréia acidificam o solo, pois na nitrificação liberam H+. As colheitas removem cátions básicos do solo. Os fertilizantes são muito importantes para o aumento da produtividade das plantas. Eles são usados em larga escala pelos produtores. As plantas têm necessidade de nutrientes, presentes nas formulações químicas e orgânicas, para promoverem o seu desenvolvimento e produtividade.
Entretanto o uso contínuo de fertilizantes tem proporcionado a acidificação do solo. Há recomendações de alguns pesquisadores, na cana-de-açúcar, de aumentar em 20% a quantidade de calcário recomendada pela análise do solo, a fim de contornar este problema. Os adubos nitrogenados que contém amônia como, sulfato de amônio, nitrato de amônio, uréia e mais os fosfatos de amônio, causam a acidificação do solo pois liberam, na sua reação com o solo, íons H+.
Por exemplo, o sulfato de amônio, conforme Fig.1 descrito pelo Prof. Mauro Wagner de Oliveira - CECA-UFAL:

Na fig.1 temos 28g de N no sulfato de amônio, que na reação no solo, libera 4g H. O calcário (carbonato de cálcio (CaCO3), 100 g libera , pela reação no solo, 2g H. Ora, o sulfato de amônio liberou 4g N: então, serão precisos 200 g de CaCO3 com um PRNT de 100%.
200g CaCO3/28g N = 7,2. Isto é, 7,2 g de CaCO3 / 1,0 g de N
Ou seja, uma relação 7:1
Se o produtor está aplicando 70 kg/ha de N, na forma de sulfato de amônio, serão necessários 70x7 = 490 kg/ha de CaCO3, somente para neutralizar a acidificação do solo provocada pelo sulfato de amônio. E este raciocínio pode ser estendido para a uréia e outros fertilizantes com amônia, conforme quadro abaixo, cuja fonte é de Pavan e Oliveira (1997).

A uréia e o sulfato de amônio, na sua reação no solo liberam 2H+. Já o fosfato diamônio (DAP) libera 3H+. Como 100 g de calcário com PRNT 100% liberam 2H+, conclui-se que em 150 g teremos 3H+. A uréia e o nitrato de amônio têm 28 g N, e o equivalente em carbonato de cálcio será igual a - kg CaCO3/kg de N. As relações ficarão assim:
Uréia = 100/28 = 3,6 (2H+)
Nitrato de amônio = 100/28 = 3,6 (2H+)
Fosfato diamônio (DAP) = 150/28 = 5,4 (3H+)
Sulfato de amônio = 200/28 = 7,2 (4H+)
A remoção de cátions básicos, como o Ca e o Mg, nas colheitas, também contribui para a acidificação do solo. Vamos supor, na cana-de-acúcar, uma remoção de 80 kg Ca/ha e 39 kg Mg/ha.
Para transformar g Ca  em  g  CaCO3 multiplica-se por 2,5
80 kg Ca/ha = (80 x 2,5) = 200 kg de CaCO3
Para transformar g Mg  em  g MgCO3 multiplica-se por 3,5
39 kg Mg/ha = (39 x 3,5) = 136 kg de MgCO3
136 kg MgCO3 x 1,19 = 162 kg equivalentes em CaCO3 (ECaCO3)
Então, para neutralizar a acidificação provocada pelo sulfato de amônio e a remoção de Ca e Mg na colheita serão necessários:
CaCO3 = 490 + 200 = 690 kg/ha
MgCO3 = 162 kg/ha

OUTROS ASSUNTOS PARA LER
As funções do nitrogênio para as plantas
As formas de absorção de nitrogênio pelas plantas
As perdas de nitrogênio na agricultura
Os fertilizantes nitrogenados
As reações dos nitrogenados e o solo
A classificação dos fertilizantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.