quarta-feira, 18 de julho de 2012

Escolha do Calcário para Saturar Ca e Mg pela Análise do Solo

INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE DO SOLO (9)


As saturações ideais dos cátions trocáveis estão numa faixa de 60 a 70% para o Ca, de 10 a 20% para o Mg e de 2 a 5% para o K. A quantidade de calcário recomendada pela análise do solo adiciona Ca e Mg. Mas, muitas vezes, as quantidades adicionadas não aumentam a saturação de cátions básicos trocáveis como desejaríamos. Isto se deve ao fato de que existem calcários com várias concentrações de CaO e MgO e,
geralmente, a recomendação é tantos quilos por hectare sem fazer menção ao tipo de calcário que deve ser usado e à relação Ca/Mg. O agricultor recebe a recomendação, por exemplo, de 3 t/ha de calcário para neutralizar a acidez do solo, sem especificar o tipo de corretivo. Não digo que seja geral, mas para chamar a atenção da necessidade de indicar que tipo de calcário, do valor do PRNT e do PN.

Então, o agricultor compra aquele que está mais próximo de sua propriedade para diminuir as despesas com frete. Muitas vezes, a origem é um calcário calcítico rico em CaO e pobre em MgO. Se há necessidade de aumentar Ca e Mg, ele vai ser prejudicado em relação ao magnésio.O contrário também é válido. O agricultor precisa somente elevar a saturação de Ca, mas ele compra um calcário dolomítico que possui mais de 12% de MgO. Aí ele provoca um desequilíbrio na relação Ca:Mg e o excesso de magnésio inibe a absorção de cálcio, bem como o excesso de cálcio inibe a absorção de magnésio.
Vamos supor a amostra nº 2, de nossa série de artigos sobre a interpretação da análise do solo, cuja recomendação de calagem foi de 2,1 t/ha para elevar o V2 a 70%. Para se inteirar disto, acesse o link:

No Quadro 2, para esta amostra 2, estão calculadas as quantidades corrigidas de calcário em função do PRNT do produto, quanto de Ca e Mg possuía o solo, quanto de Ca e Mg foi adicionada pelas diferentes fontes, o total de Ca e Mg advindo do teor no solo mais o teor adicionada, a nova soma de bases (SB), a nova percentagem de saturação por bases (V%), a nova relação Ca/Mg, as novas saturações de Ca e Mg. Quanto ao potássio foi calculado uma saturação de 4% da CTC a pH 7.0 com este cátion. O quadro 2 nos mostra que os diversos calcários utilizados apresentaram diferentes soma de bases, V%, relação Ca:Mg e saturação de Ca e Mg.


Os calcários compreendidos nos itens 3 a 6 elevaram em muito a saturação de Mg, além do ideal de 10 a 20%. A utilização destes calcários provocará um desequilíbrio, pois o excesso de Mg inibe a absorção de Ca. A relação Ca:Mg ficou muita estreita em virtude do alto teor de Mg adicionado ao solo. O agricultor que adquirir estes calcários, nestas concentrações de CaO e MgO, terão este problema.
O calcário do item 1 apresenta uma saturação de cálcio de 61%, dentro do ideal preconizado para o Ca (60 a 70%). O Mg ficou dentro do limite ideal (10 a 20%).
A relação Ca:Mg natural do solo (1,6:1) aumentou consideravelmente nos calcários dos itens 1, 2 e de 7 a 10. Os calcários dolomíticos, com alto teor de Mg aumentaram consideravelmente os teores de Mg em detrimento do Ca.
A percentagem de saturação por cátions, V%, ficou acima dos 70%, ponto de partida (V2) para o cálculo da necessidade de calagem.
Por isto,  é muito importante analisar os diversos calcários e seus respectivos teores de óxidos de Ca e Mg, antes de finalizar uma compra. Se não fizermos isto, corremos o risco de deixar o agricultor adquirir um calcário que poderá provocar desequilíbrio na interação Ca e Mg.
Quando aumentamos as saturações de Ca e Mg, dentro dos parâmetros ideias, ficamos sabendo qunto de Ca e Mg deverão ser adicionados. Descontando o que o solo possui, teremos as quantidades de Ca e Mg que deverão ser adicionadas pelo corretivo. Lendo o artigo "Necessidade de calagem pela análise do solo - Interpretação da análise do solo (6)" ficamos sabendo que pelo método saturação por bases, o cálculo da calagem para um V2 = 70%, a recomendação foi de 2,1 t/ha (PRNT = 100%) na amostra 2. (A soma de bases neste solo é de 1,67 cmolc/dm³).
Vamos buscar adicionar Ca + Mg para obter uma saturação de Ca = 60% e Mg = 18% da CTC a pH 7.0 (T) cujo valor é 5,39 cmolc/dm³

60% de T = (60 x 5,39) / 100 = 3,23 cmolc/dm³ Ca
18% de T = (18 x 5,39) / 100 = 0,97 cmolc/dm³ Mg
Quantidades de Ca e Mg que deverão ser adicionadas:
Ca = 3,23 - 1,03 (no solo) = 2,20 cmolc/dm³ que faltam
Mg = 0,97 - 0,64 (no solo) = 0,33 cmolc/dm³ que faltam

Vamos, em primeiro lugar, achar um índice que nos dará a quantidade de calcário em t/ha baseado no teor de CaO do produto.
A quantidade a ser adicionada de Ca é de 2,20 cmolc/dm³: 2,20/0,01783 = 123. Neste caso, este é o índice que usaremos para encontrar a quantidade de calcário em t/ha.
Por exemplo: se o produtor possui um calcário com 41% de CaO, a quantidade a ser utilizada, em t/ha, será 123/41 = 3 t/ha.

teor de MgO (%) = teor de Mg que falta adicionar / calcário t/ha  x  0,0248
No caso do calcário com 41% de CaO, o teor de MgO que este calcário deveria possuir é:
teor de MgO = 0,33 / (3 t/ha  x  0,0248)
teor de MgO = 0,33 / 0,07
teor de MgO = 4,5%
Portanto, a indicação seria um calcário calcítico com 41% de CaO e 4,5% de MgO

Se o técnico se defronta com um calcário com 38% de CaO, a quantidade será: 123/38 = 3,25 t/ha.
O calcário com 38% de CaO deverá ter um teor de MgO:
teor de MgO = 0,33 / (3,25 t/ha  x  0,0248)
teor de MgO = 0,33 / 0,08
teor de MgO = 4%
Portanto, a indicação seria um calcário com 38% de CaO e 4% de MgO

Com um calcário com 55% de CaO, a quantidade a aplicar será de 123/55 = 2,24 t/ha
teor de MgO = 0,33 / (2,24 t/ha  x  0,0248)
teor de MgO = 0,33 / 0,055
teor de MgO = 6%

O agricultor deve ficar atento aos teores garantidos de CaO e MgO, de PN, RE e PRNT que o vendedor deve informar. A escolha deve recair pelo calcário com o maior valor de PN, mesmo quando dois calcários apresentam o mesmo PRNT. O Ministério de Minas e Energia (2009) no estudo do "Perfil do calcário agrícola" recomenda o tipo de calcário a ser empregado em função do teor de Mg no solo e da relação Ca:Mg existente, como demonstrado no quadro 3.


SÉRIE INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE DO SOLO
O pH na análise do solo - Interpretação da análise do solo (1)
Argila e matéria orgânica na análise do solo - Interpretação da análise do solo (2)
Cátions trocáveis e as CTC's na análise do solo - Interpretaçao da análise do solo (3)
Cátions ácidos e saturação por alumínio na análise do solo - Interpretação da análise do solo (4)
Percentagem de saturação por bases (V%) na análise do solo - Interpretação da análise do solo (5)
Necessidade de calagem pela análise do solo - Interpretação da análise do solo (6)
Percentagem de saturação dos cátions básicos na análise do solo - Interpretação da análise do solo (7)
Relação Ca:Mg na análise do solo - Interpretação da análise do solo (8)

REFERÊNCIAS

BRAGA, G. N. M. . Série Interpretação da Análise do Solo. Artigos de 01 a 08. 2012. NA SALA COM GISMONTI - Assuntos sobre Agronomia. http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA. Perfil do Calcário Agrícola. 2009. 49 p. Disponível em:<http://www.mme.gov.br/sgm/galerias/arquivos/plano_duo_decenal/a_mineracao_brasileira/P29_RT55_Perfil_do_Calcxrio_Agrxcola.pdf> Acesso em: 16 de jul. 2009.

7 comentários:

  1. Fernando Duarte

    Caro Professor,

    Primeiramente agradecer a contribuição que o Blog tem no acréscimo do meu conhecimento técnico.

    Minha dúvida nesse setor seria na fórmula:
    60% de T = (60 x 5,39) / 100 = 3,23 cmolc/dm³ Ca
    18% de T = (18 x 5,39) / 100 = 0,97 cmolc/dm³ Mg

    visto que o T possuí relação com o Ca e com o Mg, esses números (3,23 e 0,97) não estarão subestimados depois da adubação? Em virtude da T aumentar.

    grato

    ResponderExcluir
  2. Olá professor.

    Gostaria de saber como escolho o índice a ser calculado para encontrar o teor de Ca e Mg a ser adicionado ao solo.

    Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o cálculo destes índices está dentro da publicação

      Excluir
  3. Olá professor, fico muito feliz com a qualidade do blog, tenho aprendido muito com suas postagens. Mas, estou com uma dúvida em relação ao teor de Mg no solo. Sabemos que teor de Mg ideal é de 0,5 cmolc/dcm3. Se a análise de solo me der um teor de Mg de 1,4 cmolc/dcm3, por exemplo, devo adicionar mais Mg ao solo com o calcário dolomítico (fazendo esse cálculos onde se mistura dolomítico e o calcítico) ou a NC deve ser toda de calcítico, já que temos os teores de Mg acima do nível ótimo. Para efeito de calculo estou utilizando 4 cmolc/dcm3 de Ca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o solo é bem provido de Mg, deve-se usar um calcário calcítico.

      Excluir
  4. ola professor , se eu pegasse uma análise qualquer de solo e resolvesse aplicar o meu calcário pelo equilibrio de de Mg e Ca ,usando os dois tipos de calcário na mesma área (dolomítico e calcítico ) qual seria a formula de correçaõ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia:
      http://agronomiacomgismonti.blogspot.com.br/2009/11/mistura-de-calcarios-para-manter.html

      Excluir

Comente, manisfeste a sua experiência, a sua dúvida, utilizando a parte de comentários.